Com a saída do governador João Azevêdo e da cúpula governista dos quadros do Cidadania na Paraíba, a executiva nacional do partido já se articula para iniciar o diálogo com a direção estadual do PSDB da Paraíba com vistas às eleições 2022. Os dois partido nacionalmente firmaram uma federação e devem marchar juntos nas eleições que se avizinham em vários estados do país.

Na Paraíba, segundo o presidente nacional do Cidadania, Roberto Freire, essa conversa deve acontecer tanto com o ex-senador Cássio Cunha Lima (PSDB) quanto com o pré-candidato ao Governo do Estado Pedro Cunha Lima.

“O Cidadania não vai sofrer um baque muito grande, mas evidentemente que vamos continuar e agora num outro processo que a politica nos levou a isso. Por não ter inimigos, iremos conversar bem com todos porque prezamos a unidade com Cássio e Pedro, que é um jovem deputado que tem ótima relação com outros deputados jovens da nossa bancada como ele, vamos reiniciar um diálogo que lá atrás deixou de existir, mas que pode rapidamente, em função dos interesses nacionais que essa federações representam, construir uma alternativa”, pontuou.

Questionado se iria manter Ronaldo Guerra no comando do Cidadania na Paraíba, Freire disse que não pensou nisso ainda, mas abriu as portas para sua permanência.

“Não pensamos nisso. Se ele quiser exercer esse papel será satisfação para nós. Mas é esse processo de diálogo com o PSDB que vamos ter que enfrentar, da mesma forma que João vai retomar o diálogo com o PSB e espero que isso aconteça também na nossa relação com o PSDB”, disse.

As declarações do dirigente repercutiram na Rádio Arapuan FM nesta segunda-feira (21).

PB Agora