O governo de Vladimir Puttin ordenou uma ação militar na Ucrânia, nas áreas separatistas que ele já havia reconhecido como áreas independentes. O governo da Ucrânia fala em invasão total. Ataque é considerado o mais grave na Europa desde a Segunda Guerra Mundial.

Países do Ocidente condenaram o ataque russo. A ONU (Organização das Nações Unidas) pediu que Putin recue mas, em discurso, o presidente russo afirmou que “quem tentar interferir vai sofrer consequências nunca vistas”.

Pelo menos duas fortes explosões foram ouvidas no centro de Kiev, a capital da Ucrânia e em Mariupol, a principal cidade — que é portuária — controlada por Kiev perto da linha de frente no leste do país, também foram ouvidas fortes explosões.

Ucrânia está sendo atingida por uma segunda onda de mísseis, de acordo com informações divulgadas por um assessor próximo do presidente ucraniano Volodymyr Zelensky.

O Exército da Ucrânia afirmou nesta quinta-feira (24) que derrubou cinco aviões e um helicóptero russos no leste do país, pouco depois de Moscou iniciar uma ofensiva militar. O governo russo negou a informação e, por sua vez, garantiu ter destruído os sistemas de defesa antiaérea e ter posto “fora de serviço” bases aéreas na Ucrânia.