Major-general condecorado comandava divisão aerotransportada. ‘Destruição confirmada’, disse ministro ucraniano.

 

O major-general Andrei Sukhovetsky, general que comandou a 7ª Divisão Aerotransportada russa e atualmente era vice-comandante do 41º Exército de Armas Combinadas, foi morto em combate na Ucrânia nesta semana.

Ele é o oficial russo de mais alto escalão morto até o momento na invasão.

 

Sua morte foi confirmada à Associated Press por uma organização local de oficiais na região de Krasnodar, no sul da Rússia. As circunstâncias não foram divulgadas oficialmente até o momento.

A Radio Liberty, ligada ao governo americano, relatou a morte e disse que Sukhovetsky já comandava a 7ª Divisão de Assalto Aerotransportado em Novorossiisk por três anos.

Informou ainda que ele participou duas vezes da Parada da Vitória na Praça Vermelha, em Moscou. Ele também participou de campanhas russas no norte do Cáucaso, Abkhazia e Síria, além de ser condecorado por seu papel na anexação da Crimeia.

“A destruição de pelo menos um general russo foi confirmada. A sociedade russa começa a sentir e perceber essas perdas”, disse o ministro da Defesa ucraniano em post no Facebook.

 

Uma cerimônia fúnebre será realizada em Novorossiisk.

Sukhovetsky tinha 47 anos. Em 1995, graduou-se na Escola Superior de Comando Aerotransportado de Ryazan, em 2009 na Academia Militar de Frunze, e, em 2018, na Academia do Estado-Maior da Rússue.

Entre 2019 e 2021, comandou a 7ª Divisão de Assalto Aéreo em Novorossiisk. Em novembro de 2021, tornou-se Vice-Comandante do 41º Exército de Armas Combinadas do Distrito Militar Central.

Ele recebeu duas condecorações: a “medalha pela coragem” e a “ordem do mérito Militar”.

A operação especial militar na Ucrânia começou em 24 de fevereiro. Em 2 de março, o Ministério da Defesa russo relatou 498 soldados russos mortos e 1.597 feridos.

G1