Um atraso na viagem de um navio cargueiro que abastece os revendedores da Paraíba está prejudicando o fornecimento de gás de cozinha aos consumidores. Nesta segunda-feira (14), o presidente do Sindicato dos Revendedores de Gás GLP da Paraíba (Sinregás PB), Marco Antônio, explicou que houve um problema com a chegada do navio que deveria trazer a carga até o Porto de Suape, no final de semana, com destino à Paraíba e demais estados do Nordeste.

Segundo ele, mais da metade das revendedoras de gás de cozinha na Paraíba não têm mais produto para vender. “Já recebemos a informação que a partir desta terça-feira (15) serão iniciados o abastecimento aos poucos. Então, ainda não há previsão de quando será retomado 100% o processo de abastecimento. Esperamos que ainda essa semana tudo seja normalizado”.

O carregamento que chega ao Porto de Suape é responsável pelo abastecimento da Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará, e Pernambuco. De acordo com o Sindicato, todos esses estados foram afetados com a falta do produto.

O desabastecimento ocorre dias após o aumento de 16 % no preço do gás de cozinha, situação que pode provocar um racionamento do produto. “As distribuidoras e fornecedores já enfrentam uma escassez de aproximadamente 50% do produto, além de os estoques já estarem comprometidos”, explicou.

A Petrobras anunciou um aumento no preço do botijão de 13 quilos, na última sexta-feira (11). A alta foi de 16,1%, o que representa um aumento de R$ 15 para o consumidor final por unidade. O botijão que custava R$ 105 à vista na Paraíba passou a ser vendido por aproximadamente R$125. Nas compras à prazo, chega a custar R$ 130.

Click PB