Choveu bastante nos minutos que antecederam o clássico entre Palmeiras e Santos, neste domingo (13), pela 11ª rodada do Campeonato Paulista. E mesmo com toda água, que segiu caindo durante a partida, o Peixe conseguiu se dar bem. O time comandado por Fabián Bustos viu o Verdão ser melhor durante todo o jogo, abusar de perder gols, mas, ainda assim, vencer por 1 a 0.

O único gol da partida foi marcado por Raphael Veiga, em cobrança de pênalti, aos 49 minutos do primeiro tempo. No lance que resultou na penalidade, o zagueiro Emiliano Velázquez, do Alvinegro Praiano, foi expulso ao atingir Kusevic.

O Palmeiras começou a partida encurralando o Santos no campo de defesa, mas pecou na conclusão das jogadas. Foram pelo menos quatro boas situações para abrir o placar até os 21 minutos do primeiro tempo, mas apenas uma finalização na meta, com Gustavo Scarpa, aos 10 minutos, sem levar muito perigo para João Paulo, que defendeu no centro do gol.

O Verdão apostava nas ligações de diretas e na velocidade de Dudu, que abusou de ir para cima de Lucas Pires, criar jogadas, mas faltar o último toque.

SANTOS SE SOLTA DEPOIS DOS 20 MINUTOS

Vendo que o Palmeiras não iria conseguir manter o ritimo do início do jogo, o Santos passou a se soltar depois dos 20 minutos da etapa inicial, e chegou ao gol adversário pela primeira vez aos 23, com o estreante como titular Auro cruzando para Ricardo Goulart cabeceando sem força para uma fácil defesa de Weverton.

QUASE LEI DO EX

Avançando, o Peixe criou uma das melhores chances dos primeiros 45 minutos aos 30 com o ex-jogador do Palmeiras, Ricardo Goulart. Em uma jogada muito parecido com a primeira criada pelo Santos no jogo, a bola foi cruzada pelo lado direito, dessa vez por Lucas Barbosa, o camisa 10 santista se antecipou a marcação e cabecou firme na bola, já batendo o goleiro Weverton, mas a bola caprichosamente beijo a trave esquerda do arqueiro palmeirense.

Goulart, que defendeu o Verdão durante cinco meses, em 2019, tendo feito 12 jogos e quatro gols, foi xingado em alguns momentos da partida pela torcida palmeirense. Inicialmente apenas pelos torcedores localizados atrás do gol norte, no qual o Santos atacava, mas no fim do primeiro tempo.

MILAGRE DE JOÃO PAULO

O Palmeiras voltou a subir as suas linhas no fim do primeiro tempo e criou a sua melhor oportunidade aos 45 minutos, após cobrança de falta rápida e Raphel Veiga cruzando para Gustavo Gómez subir mais alto que todo mundo e parar um milagre do goleiro santista.

VEIGA NÃO ERRA PÊNALTI

Na sequência da defesa de João Paulo, o Palmeiras bate o escanteio para o último lance do primeiro tempo, João Paulo afasta mal, a bola volta para Zé Rafael que finaliza para outra grande intervenção do goleiro santista, mas no rebote o zagueiro do Peixe Emiliano Velázquez atinge o palmeirense Kusevic que chegava para aprovietar o rebote. O defensor do Santos, que já tinha cartão amarelo, é expulso, e o árbitro Raphael Claus assinalou pênalti para o Verdão.

Na cobrança, Raphael Veiga convertou o 19º pênalti em 19 cobranças desde que chegou ao Palmeiras, em 2017. Foi o quinto gol do jogador no ano, quarto em penalidades.

PALMEIRAS VOLTA MELHOR NO SEGUNDO TEMPO

Com um jogador a mais, o Palmeiras voltou para o segundo tempo se impondo e teve pelo menos três grandes chances de ampliar o placar nos primeiros 10 minutos da etapa final.

Primeiro com Dudu recebendo passe de Zé Rafael, batendo cruzado e Rony, de carrinho, mandando para fora da pequena área. Depois, com uma fila do lateral-esquerdo Jorge, deixando dois santistas para trás, saindo na cara do goleiro João Paulo, mas parando no santista. E, por fim, aos 9 minutos, com Weverton ligando rapidamente Dudu pela direita, e o camisa 7 tocando para trás, para Zé Rafael finalizar por cima do gol.

VERDÃO COM ERROS DE DEFINIÇÃO

O Palmeiras segiu dominando as ações do jogo no segundo tempo, mas, assim como na etapa inicial, a ausência de um definidor prejudicou muito o time, que criou grandes chances, mas não as concluía com êxito.

Os dois principais momentos foram com Zé Rafael, que aproveitou uma bola defendida por João Paulo, em uma descida palmeirense pela direita, e finalizou para fora, e com Rony furando uma bola açucarada que recebeu de Dudu.

SANTOS ASSUSTA NO FIM

E o Palmeiras que não conseguiu matar o jogo sofreu no fim, principalmente aos 46 minutos, com uma finalização de Gabriel Pirani, que havia acabado de entrar, de fora da área, que obrigou Weverton a fazer boa defesa.

No minuto seguinte, Lucas Pires cruzou na intemediária esquerda para Lucas Barbosa cabecear por cima do gol.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 1 X 0 SANTOS

Local: Allianz Parque, São Paulo (SP)
Data e hora: 13 de março 2022, às 18h30
Árbitro: Raphael Claus
Assistentes: Danilo Ricardo Simon Manis e Mauro André de Freitas
Árbitro de vídeo: Vinicius Furlan
Público e renda: 38.381 pessoas / R$ 2.077.998,56
Cartões amarelos: Marcos Rocha e Deyverson (Palmeiras);Auro e Lucas Pires (Santos)
Cartões vermelhos: Velázquez (Santos)

Gols: Raphael Veiga (49’/1T)

PALMEIRAS: Weverton; Mayke (Marcos Rocha, 14’/2T), Gustavo Gómez, Benjamín Kusevic e Jorge; Jailson, Zé Rafael (Wesley, 21’/2T), Raphael Veiga (Deyverson, 32’/2T) e Gustavo Scarpa (Atuesta, 21’/2T); Dudu e Rony (Rafael Navarro, 32’2T). Técnico: Abel Ferreira

SANTOS: 
João Paulo; Auro (Gabriel Pirani, 43’/2T), Emiliano Velázquez, Eduardo Bauerman e Lucas Pires; Kaiky, Sandry (Camacho, intervalo) e Vinicius Zanocelo (Vinicius Balieiro, 32’/2T); Ângelo (Lucas Braga, intervalo), Ricardo Goulart (Marcos Leonardo, 20′ e Lucas Barbosa. Técnico: Fabián Bustos

Isto É