A Paraíba já registrou 37 casos de tuberculose em 2022, segundo aponta o Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) do Ministério da Saúde nessa quinta-feira (24), dia mundial de combate à doença. O número corresponde a 28,68% do acumulado no ano passado, quando foram emitidos 129 diagnósticos positivos para a infecção. A série histórica do Ministério da Saúde aponta que 1.665 pessoas morreram em decorrência da tuberculose no estado entre 2001 e 2021.

A tuberculose é uma doença contagiosa, causada pelo Mycobacterium tuberculosis (Bacilo de Koch) e seus principais sintomas são: tosse seca ou produtiva por mais de três semanas, febre geralmente no final da tarde, cansaço excessivo e prostração, suor noturno, falta de apetite, emagrecimento acentuado e, em alguns casos, uma rouquidão.

A tuberculose é transmissível por meio dos bacilos lançados pela tosse, que podem ser aspirados por outras pessoas. Têm maior risco de adoecer os indivíduos que vivem com tuberculose pulmonar, especialmente se estiver sem tratamento. O risco aumenta quando o doente mora em lugares fechados, pouco ventilados e ensolarados, assim como pessoas que vivem em condições de alimentação e saúde precárias.

A coordenadora da área técnica de tuberculose da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de João Pessoa, Eveline Vilar, explica que o tratamento da tuberculose é oferecido de forma gratuita nas Unidades de Saúde da Família (USFs), seguindo demanda espontânea. Na rede de Atenção Básica, o paciente recebe diagnóstico, tratamento e acompanhamento da doença, garantindo a sua cura. Além disso, as equipes de saúde atuam na prevenção do contágio de indivíduos ligados ao paciente.

O tratamento da tuberculose dura no mínimo seis meses.

  • PORTAL CORREIO