O comunicador Nilvan vai bater em retirada do PTB. Faz mistério, mas anuncia desembarque na próxima sexta-feira (1º). Não teria o que anunciar, em evento grande, se não fosse a mudança de partido. E não será qualquer partido. Deixa o PTB onde não conseguiu mais do que se aproximar um pouco do bolsonarismo.

Sonhou com PTB forte, representando o presidente na Paraíba. Mas com um líder como Roberto Jefferson, na pior das suas fases, como todo respeito, não iria muito longe.

O PTB foi uma espécie de hall de entrada do bolsonarismo pleno. O partido, desde ontem (30), já tem novo comandante, o vice-prefeito de Conde, Dedé Salles.

Agora, no PL, tomará forma de candidato de Bolsonaro na Paraíba. Vai abrir um palanque, de fato, bolsonarista. O presidente precisa e Nilvan está de braços abertos.

Já tem o apoio do deputado federal Wellington Roberto, novo “escolhido” do presidente na Paraíba. Tem ainda o apoio declarado do filho, Bruno Roberto, pré-candidato ao Senado, também apoiado pelo presidente. Ambos do PL.
Nilvan vai fazer de tudo para forçar uma polarização por aqui. Isso o ajuda na hora de convencer os também polarizados eleitores.

Promete fazer barulho, batendo com força nas candidaturas de esquerda e criticando com cautela aqueles mais à direita, que serão aliados, se conseguir passar para uma segunda fase.

O PL dará a Nilvan fundo eleitoral e uma proporcional com nomes comandados por Wellington Roberto. Lá, basta fazer o que já faz. Uma oposição firme a João Azevêdo, um lulista, e ser oficializado como candidato-porta-voz do presidente. Vai incomodar.

 

 

  • JORNAL DA PARAÍBA