O deputado federal é presidente do PSB na Paraíba, Gervásio Maia criticou a decisão do deputado federal e pré-candidato a senador Efraim Filho (União Brasil) de abandonar o governador João Azevêdo (PSB) e seguir com o deputado federal e pré-candidato ao Governo do Estado Pedro Cunha Lima (PSDB). Maia também fez uma previsão de que seu partido deve eleger, mas de oito deputados estaduais e dois federais, nestas eleições de 2022.

Sobre Efraim, Gervásio salientou que a cobrança do ex-aliado de que João Azevêdo não definia a chapa e que só sentava para dialogar sobre política com o deputado federal e pré-candidato ao Senado Aguinaldo Ribeiro, não é bem verdade, pois o governador não poderia definir nada, antes do prazo final da janela partidária. “Essa data não poderia ter sido exigida, até porque nesse cenário havia outros pretendentes. Não poderia ser na imposição, esse espaço de tempo teria que ser respeitado. O governador João não iria atropelar esse prazo (para a definição). Se eu fosse o governador teria agido do mesmo jeito. Espero que nas próximas semanas, a gente já esteja com essa definição para anunciar ao povo da Paraíba o início da montagem da chapa”, afirmou.

Ainda sobre Efraim o mesmo criticou sua escolha para governador: “Ele foi para um lado que representa o retrocesso na Paraíba”. Questionado sobre a previsão de deputados estaduais e federais que o PSB deve fazer Maia salientou: “As surpresas serão muito boas. Estamos dobrando de tamanho. Vamos eleger dois deputados federais e superar os oito estaduais de 2018”, disse, ressaltando que “os avanços [do PSB] estão superando as nossas expectativas. Nosso partido está de vento em popa, montando um grande time”, disse.