Fênix

 

Quando

encontrares

este poeminha

perdido.

Não digas nada,

que nada lhe altera

o sentido.

Comemores,

só assim

entenderás

o porquê do perdido,

ele só se faz

ao pé do ouvido.

Mas até lá,

que ninguém o açoite

sem o haver lido

Poeminha assim

não se guarda,

é para ser repetido.

 

Quincas Vilaneto, poeta de Caxias, Maranhão. Poeta que já publicou 12 livros.