A Justiça acatou um novo pedido da Prefeitura de Campina Grande e ampliou para R$ 100 mil por dia a multa para as empresas de ônibus que não cumprirem o contrato e não retomarem os serviços na cidade.

Segundo informação apurada pelo blog da jornalista Sony Lacerda, da Rede Correio Sat, a decisão é da juíza Silmary Alves de Queiroga, da 2ª Vara da Fazenda Pública de Campina Grande, e foi proferida nesta quinta-feira (12). Os serviços estão suspensos desde o último sábado (7).

Também nesta quinta, através de contrato emergencial, a STTP começou a disponibilizar transporte gratuito para atender aos mais de 50 moradores dos distritos de Galante, São José da Mata e Jenipapo, além das comunidades do Estreito e Salgadinho.

A STTP informou que os custos dessa operação, inclusive com a implantação da tarifa zero em caráter emergencial, serão descontados do subsídio pago às empresas do setor de transporte público, que abandonaram as linhas.

A decisão judicial anterior, que estipulou multa diária de R$ 20 mil, não foi cumprida pelas empresas Nacional, Transnacional, Cabral e Cruzeiro, que alegam “falta de passageiros”, além do baixo valor da tarifa.

 

  • PORTAL CORREIO