O IBGE divulgou, nesta sexta-feira (20), o resultado final do processo seletivo simplificado (PSS) para o Censo Demográfico 2022. Os candidatos às vagas de recenseador, agente censitário municipal (ACM) e agente censitário supervisor (ACS), devem consultar o resultado no site da Fundação Getúlio Vargas (FGV), empresa organizadora da seleção. Na Paraíba, foram ofertadas 3.879 vagas, sendo 3.380 para recenseador e 499 para os cargos de ACM e ACS.

Conforme o IBGE, em caso de empate na nota final, o primeiro critério de desempate obedecerá ao Estatuto do Idoso e a vaga irá para quem tiver idade igual ou superior a 60 anos completos até o último dia de inscrição.

O segundo critério é a nota na disciplina Conhecimentos Técnicos seguida da nota em Língua Portuguesa e em Ética no Serviço Público. Todos os critérios de desempate podem ser consultados no edital do processo seletivo.

Ainda segundo o órgão, a próxima etapa será a de convocação. O IBGE chamará para o treinamento os candidatos aprovados dentro do número de vagas.

Ao todo, mais de 621 mil pessoas concorreram às vagas distribuídas em 5.297 municípios do país. Serão 206.891 servidores temporários para o Censo, dos quais 183.021 recenseadores, que tem treinamento previsto de 18 a 22 de julho, 18.420 para ACS e 5.450 para ACM, ambos com treinamento previsto de 6 a 15 de junho.

Demais candidatos aprovados serão mantidos em lista de espera, podendo ser chamados posteriormente, de acordo com o edital. O treinamento para recenseadores terá caráter eliminatório e classificatório e será realizado pelo IBGE em duas etapas: autoinstrução e presencial.

Para mais informações sobre as próximas etapas do concurso, consulte o edital do PSS no site da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Mais de 70 milhões de domicílios devem ser visitados em todo o Brasil

A partir de 1º de agosto, estima-se que 215 milhões de habitantes, em mais de 70 milhões de domicílios, serão visitados pelos recenseadores nos 5.570 municípios do país.

O Censo revelará as características dos domicílios, identificação étnico-racial, nupcialidade, núcleo familiar, fecundidade, religião ou culto, deficiência, migração interna ou internacional, educação, deslocamento para estudo, trabalho e rendimento, deslocamento para trabalho, mortalidade e autismo.

Realizada a cada dez anos, a pesquisa é a principal fonte de referência sobre as condições de vida da população em todos os municípios do país.

 

  • Jornal da Paraíba