Desocupação em menor nível desde 2016, PIB cresce 1%, 4ª dose da covid para quem tem mais de 50 anos e nova carteira de motorista

No quadro Fatos da Semana, o Poder360 reúne os principais eventos da semana que se encerra neste sábado (4.jun.2022).

DADOS POSITIVOS DA ECONOMIA

A semana trouxe resultados positivos para a economia brasileira. A taxa de desemprego caiu para 10,5% no trimestre encerrado em abril. Esse é o menor percentual desde 2016. A população desocupada caiu para 11,3 milhões de pessoas.

E o PIB, Produto Interno Bruto, que é a soma dos bens e serviços produzidos no país, cresceu 1% no 1º trimestre de 2022. Em comparação com o 1º trimestre de 2021, cresceu 1,7%. Em valores correntes, a economia brasileira movimentou R$ 2,3 trilhões de janeiro a março. O crescimento da atividade econômica foi puxado pelo setor de serviços.

Com o resultado, o Brasil voltou a integrar o top 10 das maiores economias do mundo, posto que não ocupava desde 2020. Segundo ranking da Austin Rating, o país saiu da 13ª posição no 4º trimestre de 2021 para a 10ª em março de 2022. O país passou a Rússia, a Coreia do Sul e a Austrália.

NUNES MARQUES ANULA DECISÃO DO TSE

Na 5ª feira (2.jun.2022), o ministro Nunes Marques, do STF (Supremo Tribunal Federal), anulou decisão colegiada do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) que cassou o deputado estadual Fernando Francischini (União Brasil-PR), que foi condenado por difundir fake news. Depois, derrubou outra decisão, a cassação do deputado federal Valdevan Noventa (PL-SE), que foi condenado por abuso de poder econômico.

Bolsonaristas comemoraram as decisões do ministro. O ministro deverá levar à 2ª Turma da Corte a análise das duas decisões.

Na 6ª feira (3.jun.2022), o PT entrou com ação no Supremo pedindo que a cassação de Valdevan Noventa seja mantida. O partido alega que a decisão violou a competência da Justiça Eleitoral.

XADREZ ELEITORAL

No cenário eleitoral, as movimentações começam a se intensificar a medida que as eleições se aproximam.

Nesta semana, em viagem pelo Rio Grande do Sul, o ex-presidente e pré-candidato à Presidência da República Lula (PT) mudou a história e disse na 3ª feira (31.mai.2022) que seu companheiro de chapa, Geraldo Alckmin (PSB), foi contra o processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT).  No entanto, Alckmin deu declarações em 2015 e 2016, quando ainda era filiado ao PSDB, mostrando apoio à cassação da petista.

No Rio Grande do Sul, Lula também fez críticas a banqueiros, defendeu a Lei Rouanet, criticou o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, por ajudar Ucrânia em vez da África e falou em proibir a venda de armas no Brasil.

Na pré-campanha do presidente Jair Bolsonaro (PL) o destaque da semana são as propagandas do seu partido que começaram a ser veiculadas em rádio e TV na 5ª feira (2.jun.2022). Nelas, Bolsonaro aparece conversando com jovens sobre pais e família.

Nesta semana, o presidente chamou a Petrobras de irresponsável pela alta dos preços dos combustíveis, aprovou a flexibilização de propaganda em ano eleitoral e disse que irá a guerra se for preciso pela liberdade de expressão. O pré-candidato Ciro Gomes (PDT) criticou a possibilidade de Lula e Bolsonaro não irem nos debates presidenciais. “Covardia inominável”, disse o pedetista.

No campo da 3ª via, o PSDB ainda não formalizou apoio a candidatura da senadora Simone Tebet, do MDB.  O União Brasil lançou a pré-candidatura do presidente da sigla e deputado federal Luciano Bivar na 3ª feira (31.mai.2022).

4ª DOSE DA VACINA CONTRA A COVID

Diante do cenário de maior média móvel de novos casos de covid-19 desde março, e com diversas cidades voltando a recomendar o uso de máscaras em locais fechados,  o Ministério da Saúde vai liberar até a próxima semana a 4ª dose ou 2ª dose de reforço da vacina contra a covid-19 para profissionais de saúde e pessoas acima de 50 anos. A nova dose será aplicada a partir de 4 meses da injeção anterior.

NOVA CNH

Entrou em vigor na 4ª feira, 1º de junho, o novo modelo da CNH (Carteira Nacional de Habilitação). O documento continuará sendo emitido pelos Detrans (Departamentos estaduais de trânsito).

A nova versão não invalida a CNH atual, com o motorista tendo a possibilidade de permanecer com o modelo antigo até que a validade expire. Só condutores que tirarem pela 1ª vez, renovarem a habilitação ou tirarem 2ª via a partir de 1º de junho terão como obrigatoriedade o modelo.

Entre as novidades estão códigos de identificação internacional e a possibilidade de usar um nome social, diferente do de registro.

PODER 360