A cantora Taty Girl, artista de sucesso no forró com uma legião de fãs na Paraíba desde que lançou carreira solo, tem agenda lotada sempre e somente com contratos firmados com prefeituras da Paraíba já fatura R$ 462 mil neste ano de 2022. Os dados levantados pelo ClickPB junto ao sistema do Tribunal de Contas da Paraíba (TCE-PB) constatam que até esta segunda-feira (06) a cantora já fechou contrato com cinco prefeituras.

Os cachês mais altos são pagos no mês de junho, conforme constam os dados consultados. O contrato com a Prefeitura de Santa Luzia, com show agendado para o dia 24 de junho, tem cachê de R$ 140 mil. Já a Prefeitura de Santa Rita pagou R$ 120 mil pelo show da artista no dia R$ 4 de junho.

Em Condado, a gestão desembolsa R$ 80 mil pelo show durante as festas de São Pedro, de acordo com o contrato consultado. No dia 1º de julho Taty Girl se apresenta na cidade de São Mamede, com cachê de R$ 55 mil pago pela prefeitura. Já em Serra Branca, a Prefeitura paga R$ 67 mil pelo show da cantora na festa de emancipação política da cidade.

Os contratos de prefeituras com bandas de cachês altos têm chamado atenção da população e dos órgãos fiscalizadores desde a última semana, quando o ClickPB publicou, em primeira mão, o contrato da Prefeitura de Ouro Velho com Xand Avião. A prefeitura iria pagar o total de R$ 300 mil em cachê para um show de Xand Avião. No entanto, uma medida cautelar do conselheiro André Carlo Torres Pontes, do TCE-PB, impediu a contratação de Xand Avião e Priscila Senna. Pouco depois, a Prefeitura anunciou o cancelamento dos shows e das comemorações de São João na cidade. O prefeito ainda declarou que os shows deverão acontecer em outra data e serão pagos com dinheiro privado.

Com o fim do distanciamento social e relaxamento das medidas de combate à proliferação da covid-19, os shows e grandes atrações voltaram a acontecer em todo o Brasil. Na Paraíba, o aquecimento do setor cultural retornou justamente no período de São João, quando já existe uma tradição de grandes festas e celebração. No entanto, o TCE-PB está fazendo alertas para os gestores em relação a gastos altos com atrações em um momento que não seja tão prudente. Há que se lembrar que, pouco tempo atrás, os municípios enfrentavam uma das piores calamidades de suas histórias.

 

  • ClickPB