Atual campeão da Liga das Nações masculina de vôlei, o Brasil estreou com autoridade contra a Austrália na noite desta quarta-feira, no Ginásio Nilson Nelson, em Brasília. Depois de uma derrota e uma vitória nos amistosos contra o Japão, em Taguatinga, os comandos do técnico Renan Dal Zotto precisaram de pouco mais de duas horas para vencer o primeiro compromisso por 3 sets a 0. As parciais foram de 25/14, 25/18 e 25/21. Bruninho e companhia voltarão à quadra nesta quinta-feira, novamente às 21h, contra a Eslovênia.

Maior pontuador da partida, o oposto Alan celebrou o retorno com estilo à Seleção. “Muito Feliz. Estou voltando de lesão. Contente por mim e pelo grupo. A Austrália é um time bom. Nós não conhecíamos alguns jogadores. Os caras são muito grandes. Demoramos a entrar na partida, mas conseguimos. O processo de renovação está mantendo o nível. Quem está aqui é titular nos clubes e conhece a responsabilidade”, avaliou o jogador em entrevista ao SporTV.

O levantador Bruninho alertou para a atuação irregular do Brasil e cobrou evolução para a segunda exibição. “Jogar no Brasil é sempre demais. Ficamos três anos longe do público. Nós atuamos aqui em Brasília em 2019 e esperamos retribuir novamente esse carinho. Tomamos algumas decisões erradas, mas esperamos corrigi-las para a partida contra a Eslovênia”, avaliou em entrevista à transmissão oficial da VNL.

Renovado depois do quarto lugar nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020 e do título do Campeonato Sul-Americano disputado em Brasília no ano passado, o Brasil entrou em quadra com dois desfalques. Leal sentiu dores no joelho. Lucarelli foi vetado por causa de uma lesão na coxa. O sexteto inicial teve Bruninho, Adriano, Lucão, Rodriguinho, Flávio e Thales. A Seleção não tomou conhecimento da Austrália no primeiro set. Alan tratou de virar as bolas, levantou a torcida na arena e acelerou o triunfo por 25 x 14.

O panorama continuou o mesmo na segunda parcial. O Brasil acionava Alan e o oposto afundava a bola na quadra australiana. Quando os Cangurus tentavam dar um salto maior do que as pernas, Lucão se agigantava na rede para organizar o bloqueio. Renan Dal Zotto rodava a equipe, mas mantinha a intensidade. Flávio fechou o segundo set em 25 x 18.

A Austrália tentou colocar as asinhas de fora no início da terceira parcial. Esteve à frente no placar e propôs um jogo ponto a ponto. Bastou uma bronca do técnico Renan Dal Zotto no pé da orelha do Brasil para a ordem ser restabelecida no Nilson Nelson e a Seleção fechar a partida por 25 x 21.

O último set foi marcado por uma paralisação inusitada. A partida foi interrompida por quase 10 minutos para checagem de um possível erro no rodízio da Austrália. Havia risco de os pontos da seleção adversária serem zerados. No fim das contas, o problema era um bug no aplicativo da Federação Internacional de Vôlei no registro de uma alteração. Sem irregularidade, a arbitragem retomou o confronto.

A primeira fase da Liga das Nações é disputada em três semanas com quatro jogos para cada uma das 16 seleções divididas em dois grupos. As oito melhores avançarão à fase final, em Bolonha, na Itália. Além de Austrália e Eslovênia, o Brasil terá pela frente Estados Unidos e China nesta rodada da competição internacional.

RESULTADOS DE HOJE

» No Canadá
Japão 3 x 1 Holanda
França 3 x 0 Itália

» Em Brasília
Polönia 3 x 0 Argentina
Brasil 3 x 0 Austrália

 

  • Correio Brasiliense