Após adiamentos na tentativa de resolver o que parecia ser insolucionável, PSDB e MDB do Rio Grande do Sul encaminharam um acordo em prol de uma candidatura nacional. O pré-candidato ao governo gaúcho pelo MDB, Gabriel Souza, está em vias de anunciar que desistiu da disputa para fechar uma aliança com o ex-governador Eduardo Leite (PSDB), de quem deve ser vice na chapa do estado.

A desistência de Souza foi sinalizada em reunião no fim da tarde desta terça-feira (7) entre o então pré-candidato emedebista, Leite, o presidente do MDB no estado, Fábio Branco, e o ex-governador Germano Rigotto (MDB), segundo fontes do MDB ouvidas pela CNN.

Rigotto está em Brasília nesta quarta-feira para continuar as tratativas com o presidente do partido, Baleia Rossi, que deve levar o acordo à cúpula do PSDB.

Os tucanos têm reunião da executiva nacional prevista para essa quinta-feira (9) para chancelar – ou não – apoio a Simone Tebet (MDB) na disputa ao Planalto e estabeleceram prazo até esta quarta para a solução de impasses regionais. PSDB mantém a data, mas um possível novo adiamento não está descartado dependendo das conversas na capital federal.

Ainda há incompatibilidades entre emedebistas e PSDB em Pernambuco e Minas Gerais, mas a avaliação da cúpula do MDB e de tucanos ouvidos pela reportagem é que solucionando o impasse pelo menos no Rio Grande do Sul já garantiria a chancela ao nome de Tebet.

Após o encontro de terça, o diretório gaúcho do MDB publicou uma nota no seu site afirmando que “o MDB do Rio Grande do Sul segue dialogando com aqueles que desejam construir uma aliança para dar continuidade ao projeto de desenvolvimento do Estado, mas mantém a pré-candidatura de Gabriel Souza ao Piratini”. Segundo emedebistas ouvidos pela CNN, a nota foi divulgada porque “Gabriel não pode ser o primeiro a falar” sobre o acordo. Oficialmente, Gabriel Souza diz que continua pré-candidato.

 

  • CNN