A Polícia Federal deflagrou na manhã desta sexta-feira (10/6) a Operação Predador, com o objetivo de desarticular associação criminosa suspeita de fabricar notas falsas. Os policiais federais cumprem dois mandados de busca e apreensão expedidos pelo Juízo Federal da Subseção Judiciária de Anápolis (GO).

A PF iniciou a investigação a partir da apreensão de mais de R$ 200 mil em notas falsas em setembro de 2021. Os policiais identificaram que o grupo criminoso fabricava as notas falsas em Águas Lindas (GO) e era responsável por colocar em circulação centenas de milhares de reais falsificados, inclusive cédulas de R$ 200.

Com alta qualidade, o dinheiro falso era enviado por encomenda postal para pelo menos 14 unidades da Federação distintas.

Mais sobre o assunto

Os investigadores identificaram, em parceria com a Coordenação de Segurança Corporativa dos Correios em Brasília e com a Receita Federal do Brasil, o responsável pela fabricação e e distribuição das cédulas, que é suspeito de comercializar mais de R$ 20 milhões em notas falsas apenas nos anos de 2020 e 2021.

Dinheiro falsoDinheiro falso
Dinheiro falso apreendido

O homem foi indiciado pela prática dos crimes de moeda falsa em concurso material com associação criminosa e lavagem de dinheiro, cujas penas somadas podem chegar a mais de 25 anos de prisão.