Por meio de comunicado à imprensa o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, negou ter ocorrido qualquer intermediação conduzida pelo seu filho, o pré-candidato a deputado federal Queiroguinha, para liberação de recursos da pasta para prefeituras paraibanas. Queiroga considerou que as denúncias são apenas especulações.

“Esse caso Queiroguinha é um caso que não existe e a Paraíba sabe disso. Assumi o Ministério há um ano, veja quantas vezes eu estive na Paraíba. Ao contrário de outros políticos que ocuparam ministérios no passado e todos finais de semana estavam no estado da Paraíba fazendo a política que nós conhecemos e sabemos”, afirmou o ministro a imprensa do Sertão.

O ministro defendeu o direito do filho disputar uma vaga na Câmara dos Deputados. “E ele é filiado ao Partido Liberal, que é o partido do presidente Bolsonaro e ele acredita nas propostas do governo Bolsonaro, se sente um defensor do governo Bolsonaro, naturalmente que não fala em nome do Ministério da Saúde e nem falou, em nenhum momento e essas ações que são ventiladas nesse jornal, elas carecem de absoluta materialidade”, afirmou sobre à reportagem do Jornal O Globo, que publicou o suposto esquema.

Marcelo Queiroga acrescentou que não há qualquer ilegalidade em receber prefeitos e registrar o encontro em fotos. Ele reforçou que respeita integralmente a legislação eleitoral. “Onde estão esses recursos intermediados pelo Queiroguinha? Simplesmente não existem. Os recursos que existem são recursos de programa, eles são encaminhados não só para a Paraíba, mas para os 5570 municípios do Brasil”, disse.