A senadora Rose de Freitas (MDB) participou na tarde desta terça-feira (19), ao lado de outros dirigentes regionais emedebistas, de uma reunião com o ex-presidente Michel Temer, histórico cacique nacional do partido. A comitiva foi formada por outros líderes regionais do MDB, como os senadores Renan Calheiros (AL) e Eduardo Braga (AM), líder do partido no Senado.

O MDB tem candidata própria à Presidência da República: a senadora Simone Tebet (MS). Mas o grupo, do qual Rose faz parte, apoia a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O encontro com Temer, inclusive, seria uma tentativa dos caciques de promoverem uma reaproximação política entre os ex-presidentes, para que o MDB embarque em definitivo na campanha de Lula, a partir da influência interna de Temer.

Na tarde de ontem (18), representantes de diretórios do MDB em 11 estados reuniram-se com o próprio Lula e com a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, e manifestaram apoio à candidatura do petista à Presidência. Entre eles, Rose de Freitas, presidente do MDB no Espírito Santo.

Oficialmente, a candidatura de Simone Tebet resiste. Nesta terça-feira, em reação ao movimento dos dissidentes favoráveis a Lula, o partido divulgou uma carta em defesa da manutenção da candidata emedebista, assinada pelo presidente nacional da sigla, Baleia Rossi, e por representantes de 18 diretórios estaduais.

A informação sobre o encontro de líderes emedebistas com Temer foi publicada pelos sites de O Globo e da Carta Capital na tarde desta terça-feira.

Na última sexta-feira (15), Simone Tebet esteve em Vitória para um ato de pré-campanha, realizado num cerimonial de Vitória. Em seguida, encontrou-se com o governador Renato Casagrande (PSB) no Palácio Anchieta. Durante toda a programação, ela foi acompanhada e ciceroneada por Rose de Freitas, que manifestou apoio à candidatura de Tebet à Presidência.

Desde ontem (18), temos tentado, sem sucesso, falar com a própria Rose de Freitas. Ela não atendeu a nossos telefonemas nem respondeu às nossas mensagens de texto.

Manato é apoiado pelo PPM

O ex-deputado federal Carlos Manato (PL) recebeu nesta terça-feira (19) a adesão do Projeto Político Militar (PPM) do Espírito Santo à sua candidatura ao governo estadual.

“Eu me sinto honrado. Tenho discutido com eles há alguns meses. Ajudaram a formatar comigo o meu programa na área de segurança pública. Esse apoio mostra que nossa candidatura está tendo sintonia com as forças de segurança pública do Espírito Santo”, disse Manato.

O apoio ao ex-deputado deve ser anunciado oficialmente pelo PPM-ES em ato previsto para o dia 29.

Magno também

Na véspera (18), a diretoria do PPM-ES firmou apoio à candidatura do ex-senador Magno Malta ao Senado. Tanto ele como Manato se comprometeram em defender a pauta do movimento. Os dois são filiados ao Partido Liberal (PL), sigla de Jair Bolsonaro, e apoiadores do atual presidente.

O PPM-ES

Presidido pelo cabo Góes, da PMES, e formado por várias associações de classe que representam policiais e bombeiros militares do Espírito Santo, o PPM-ES é um projeto que visa reunir as demandas das tropas militares e trabalhar as pautas das categorias junto aos representantes do poder público. Com esse objetivo, o movimento escolhe candidatos para apoiar nas eleições.

No início do ano, por meio de votação interna, os participantes do PPM-ES escolheram três militares que terão o apoio do movimento na eleição a deputado estadual, além de um candidato a deputado federal: o tenente Assis, que concorrerá pelo PTB.

Militar para vice de Manato

Por enquanto, o único partido coligado ao PL na eleição estadual é o também bolsonarista PTB. Manato diz que segue em conversas com representantes de outras legendas, mas adianta que, se sua chapa tiver só esses dois partidos, seu candidato a vice-governador virá do PTB. E mais: “Será alguém da segurança pública”.

Mas não Assis

Manato não antecipa nomes, mas garante que não será Assis. Até porque a esposa do ex-deputado, Soraya Manato, disputará a reeleição na Câmara dos Deputados na mesma chapa de Assis. Ou seja, um depende do outro para conseguir se eleger.

Dia Nacional do Cristão

Segundo Manato, ele e Soraya estarão nesta quarta-feira (20) em Brasília com o presidente Bolsonaro, para a sanção do projeto de lei de autoria de Soraya, aprovado pelo Congresso, que cria o Dia Nacional do Cristão. No calendário oficial, a data simbólica será celebrada no segundo domingo de junho.

Convenções do PL e do PTB

O PTB resolveu adiar sua convenção no Espírito Santo. Agora, segundo Manato, ela está marcada para a manhã do próximo dia 30, assim como a do PL. A do PTB ocorrerá na Câmara Municipal de Vila Velha, enquanto a do PL será em um cerimonial da mesma cidade. A intenção de Manato é passar com Magno nas duas.

O período oficial das convenções partidárias começa nesta quarta (20) e vai até o dia 5 de agosto.

Xambinho com Erick

Após viver um tremor de terra na relação política com Erick Musso (Republicanos), o deputado estadual Alexandre Xambinho (PSC) declarou apoio ao presidente da Assembleia Legislativa na eleição a governador do Estado.

Confirmado à coluna por Xambinho, o anúncio foi feito publicamente por ele no último dia 9, um sábado, em Colatina, durante evento de pré-campanha do deputado estadual Renzo Vasconcelos (também do PSC), pré-candidato a deputado federal.

Reviravolta

No dia 13 de maio, em represália a Xambinho, Erick chegou a exonerar, de uma vez só, nada menos que 12 servidores indicados pelo deputado para cargos comissionados (de livre nomeação) ligados à Mesa Diretora da Assembleia.

Na véspera, Xambinho aparecera ao lado de Casagrande (adversário eleitoral de Erick) em um evento de prestação de contas do mandato no bairro Barcelona, seu reduto na Serra, causando a insatisfação de Erick, que se sentiu preterido. O PSC de Xambinho está na coligação do Republicanos e apoia a pré-candidatura de Erick ao governo.

Recuperação parcial

Depois do episódio, parte dos 12 comissionados da cota de Xambinho voltou a ser nomeada por Erick para os respectivos cargos.

 

ES360