Mesmo com o notório acirramento político e ameaças às instituições democráticas, antes mesmo de iniciar a campanha eleitoral, o presidente do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE), desembargador Leandro dos Santos, não acredita haja a necessidade de convocação de tropas federais nas Eleições 2022.

O presidente, no entanto, afirmou que juízes eleitorais poderão solicitar reforço do Exército, caso haja risco concreto à segurança do pleito.

“O juiz eleitoral, onde ele estiver, pode solicitar a atuação das forças federais ao TRE-PB e a gente analisa e encaminha para o TSE porque a posição final será do Tribunal Superior Eleitoral. Mas, repito, nesse momento não enxergo nenhuma situação no estado da Paraíba que viabilize a convocação de tropas federais”, disse o presidente.

A medida para assegurar a tranquilidade do pleito foi tomada em anos anteriores. Há duas eleições que elas não foram necessárias.

“As Forças Armadas têm sido nossa parceria. Já conversei com o general Bernardes e ele está de prontidão, com toda a sua equipe para atuar no que for necessário e se for necessário, dentro dos seus limites constitucionais”, destacou.

Planejamento

Com foco no Planejamento Integrado de Segurança das Eleições 2022, ele promoveu uma reunião na tarde desta quarta-feira (20) com representantes da forças de seguranças e do Ministério Público.

Foram convidados para a reunião a Polícia Civil da Paraíba, Polícia Militar da Paraíba, Polícia Rodoviária Federal, Corpo de Bombeiros, Ministério Público Federal e Abin (Agência Brasileira de Investigação).

A reunião aconteceu à portas fechadas, mas o presidente do TRE-PB afirmou que na pauta esteve a necessidade de levantar informações, identificar pontos críticos e esclarecer necessidades de eventuais reforços, que servirão para orientar as estratégias de atuação dos Órgãos de Segurança voltados para as Eleições.

O secretário de Segurança Pública da Paraíba, Jean Nunes, disse que o estado tem se preparado para dar apoio à polícia judiciária, que é comandada pela Polícia Federal durante o pleito.

 

Jornal da Paraíba