O procurador-geral da República, Augusto Aras, divulgou vídeo nesta 3ª feira (26.jul), no qual afirma que o Ministério Público está adotando medidas preventivas contra “eventuais distúrbios” no dia Sete de Setembro. A manifestação de Aras ocorre dois dias após o presidente Jair Bolsonaro (PL) convocar os apoiadores a irem às ruas no Dia da Independência para protestar contra o Supremo Tribunal Federal.

“Estou fazendo esta abordagem para dizer que estamos trabalhando, tal qual no ano passado. É um trabalho de investigação, que estamos monitorando em todo o Brasil”, informou.

Segundo Aras, no ano passado, a Procuradoria Geral da República atuou junto ao Supremo Tribunal Federal e aos Ministérios Públicos Militares em todo o Brasil. E que todas as instâncias do Ministério Público nos estados já estão atentas para os atos deste ano. “Nós não deixamos que o  Sete de Setembro de 2021 tivesse nenhum evento de violência. Todos nós estamos atentos a eventuais movimentos,  espontâneos ou não da sociedade civil, no que toca à possibilidade de violência”, ressaltou.

Preocupação política

No núcleo político bolsonarista, há orientação aos apoiadores do presidente para que façam manifestações pacíficas. A ideia é levar o maior número possível de apoiadores às ruas para demonstrar força na campanha eleitoral, que estará a menos de um mês do primeiro turno. O grupo, porém, fala internamente no temor de atuação de infiltrados da oposição nas manifestações para provocar tumultos.

O PT orientou os militantes a não realizarem atos no dia Sete de Setembro para evitar confronto com os bolsonaristas nas ruas. Os apoiadores do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva avaliam medir a força da campanha no no fim-de-semana seguinte.

SBT NEWS