Carnaval de Olinda 2018 Encontro Estadual dos Maracatus de Baque Solto de Pernambuco. Local: Cidade Tabajara. Olinda-PE. Foto: Arquimedes Santos/Prefeitura de Olinda

Em comemoração ao aniversário de 98 anos de Abelardo da Hora e ao dia nacional do Maracatu, celebrados, respectivamente, nos dias 31 de julho e 1º de agosto, a Funesc promove apresentação do grupo paraibano Maracatu Baque Mulher. A ação é organizada pelo Memorial Abelardo da Hora em parceria com a Gerência de Diversidade e Inclusão da Secretaria de Educação e da Ciência e Tecnologia. O evento acontece neste domingo (31), às 15h30. O museu estará aberto à visitação das 13h às 19h.

Abelardo Germano da Hora (1924-2014) foi um escultor, gravador, ceramista, pintor, desenhista e educador brasileiro nascido em São Lourenço da Mata/PE. Artista modernista com grandes laços com a cultura popular, produziu ao longo da carreira muitos trabalhos que homenageiam as manifestações populares, entre elas o Maracatu. O Memorial Abelardo da Hora reúne um acervo de 230 obras das quais ao menos 11 peças destacam essa temática, como o Memorial ao Maracatu e Lanceiro (esculturas em grande formato), a Série Danças Brasileiras de Carnaval (desenhos em bico de pena) e Lanceiro I (tapeçaria).

A data de 1º de agosto é marcada no calendário como o Dia Nacional do Maracatu, em homenagem ao nascimento do Mestre Luiz de França (1901-1997) da Nação Leão Coroado (PE), grupo fundado em 1863. O Maracatu se divide em duas tradições, a de nação ou de baque virado que une música, dança, canto e religiosidade em um desfile composto por um cortejo real e um grupo percussivo, e a rural ou de baque solto, que tem como principal símbolo o caboclo de lança e conta com instrumentos de sopro além dos de percussão em seu cortejo. Ambos chamam a atenção pela riqueza estética e pela musicalidade. Em 2014 foram inscritos como bens culturais imateriais no Livro de Registro das Formas de Expressão do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) por carregarem elementos culturais que contribuem para a formação da identidade e da memória afro-brasileira.

Maracatu Baque Mulher – O movimento de empoderamento feminino Baque Mulher João Pessoa é parte de uma rede internacional de feministas do baque virado, que há mais de 10 anos atua na proteção de direitos das mulheres, por meio do patrimônio histórico cultural do Maracatu. Fundado pela primeira e única mulher mestra de Maracatu Joana D’arc Cavalcante, este movimento nasce na comunidade do Bode, bairro do Pina, em Recife, e hoje se estende em mais de 40 cidades do Brasil e do mundo, todas ligadas à nação de Maracatu encanto do Pina e à casa de Ylê Axé Oxum deim. Tem por missão combater todo tipo de violência contra as mulheres, bem como todas as violações dos direitos humanos. Para tanto, utilizam como meio a cultura do maracatu. Na cidade de João Pessoa, este grupo existe desde 2017 atuando como uma rede de apoio sociocultural em campos com importante participação feminina como a periferia de nossa cidade e os espaços acadêmicos e públicos.

Horários de funcionamento do Memorial Abelardo da Hora
terça-feira a sexta-feira: 9h às 17h
Sábado, domingo e feriados: 13h às 19h