North Korean leader Kim Jong Un gestures during a Central Committee of the Worker's Party meeting in Pyongyang, North Korea in this photo released on April 9, 2019 by North Korea's Korean Central News Agency. KCNA via REUTERS

Irmã de Kim Jong-un disse que o irmão teve “febre forte” durante o surto e acusa a Coreia do Sul de ter “espalhado” a doença

O governo da Coreia do Norte declarou “vitória” contra a covid-19 cerca de 3 meses depois do 1º caso da doença identificado no país. O anúncio foi feito pelo líder norte-coreano, Kim Jong-un, nesta 5ª feira (11.ago.2022).

Apesar de declarar vitória contra o vírus, Kim Jong-un, disse que manterá as medidas de controle para impedir a entrada de novas variantes no país.

“Nosso Partido e o governo avaliaram a atual situação de quarentena e chegaram à conclusão de que a crise epidêmica maligna que se criou no país foi completamente resolvida com base nos dados de análise detalhada apresentados pelo departamento de pesquisa científica”, disse o líder durante comitê. A informação foi publicada pela agência KCNA.

A irmã do líder norte-coreano, Kim Yo Jong, acusou a Coreia do Norte de “espalhar” o vírus no país em abril. Kim Yo Jong, apontada como sucessora ao cargo do irmão, disse que Kim Jong-un teve uma “febre alta” durante o surto, mas não confirmou se o líder norte-coreano foi diagnosticado com o vírus. A informação foi divulgada pela mídia norte-coreana e não foi citada no anúncio feito pela KNCA.

“O Marechal, que estava gravemente doente com alta febre diária nesta guerra da quarentena, mas não podia deitar-se nem por um momento por causa do pensamento nas pessoas que deveriam ser responsabilizadas”, disse Kim Yo Jung.

O anúncio aconteceu durante uma reunião nacional para “revisar o trabalho antiepidêmico de emergência” realizada pelo Comitê Central do Partido dos Trabalhadores da Coreia (CCPTC). Funcionários do governo disseram que o surto do vírus no país provocou “desordem” e “recessão econômica”.

 

Poder 360