(Foto: Imagem ilustrativa/Freepik)

O estudo global “In News We Trust” (Nós Confiamos nas Notícias, em inglês), realizado pela empresa Teads, constatou que 79% dos brasileiros têm mais interesse nas notícias veiculadas em sites. Ainda segundo a pesquisa, 32% do público nacional procuram os sites de notícias de uma a cinco vezes por dia, enquanto 35% tem uma frequência de consumo de mais de seis vezes ao dia.

O dispositivo mais usado para a leitura de notícias online é o laptop/computador, preferência de 76% dos brasileiros entrevistados. A porcentagem é bem maior que nos Estados Unidos (50%) e Reino Unido (40%).

Quando perguntados sobre a sua relação com a publicidade, 51% estão atentos aos anúncios online e apenas 34% reparam nos anúncios impressos. Globalmente, a audiência jovem se lembra e confia em anúncios do meio online.

Redes sociais agregam, mas são incertas
As redes sociais são consideradas a fonte menos confiável de notícias, bem como de consumo de publicidade e conteúdo de marca. Apesar de representarem uma boa fonte de notícias para 62% dos entrevistados, apenas 11% deles confia no que lê nas mídias sociais, seja anúncio ou conteúdo.

Globalmente, os consumidores acreditam que notícias publicadas em sites de relacionamento são sensacionalistas (28%) e falsas (26%), enquanto que as publicações de notícias em publishers de conteúdo são informativas (35%) e precisas (22%).

Os brasileiros também compartilham da opinião que notícias publicadas nas redes sociais são sensacionalistas (30%) e falsas (19%), enquanto o conteúdo dos portais é considerado informativo (48%) e preciso (15%).

 

Portal Correio