O juiz eleitoral, Antônio Rudimacy Firmino de Sousa, cassou o mandato da prefeita de Bayeux, Luciene Gomes e do vice-prefeito, capitão Clecitoni, por abuso de poder econômico e uso da máquina nas eleições de 2020.  De acordo com a denúncia, Luciene, que disputou o mandato no cargo, realizou uma série de ações sociais, dentre elas, distribuição de cestas básicas e nomeação de servidores, durante período vedado. Cabe recurso.  A prefeita deve recorrer da decisão no cargo.

O magistrado sustenta na sentença, que mesmo após recomendação do Ministério Público sobre a prática  criminosa, a gestora continuou com as nomeações.

“Julgo PROCEDENTE a ação de investigação judicial eleitoral em relação aos dois primeiros investigados LUCIENE ANDRADE GOMES MARTINHO, e CLECITONI FRANCISCO DE ALBUQUERQUE SILVA, prefeita e vice-prefeito eleitos, CASSANDO-LHES OS DIPLOMAS e declarando-os inelegíveis pelo prazo de 8 (oito) anos, a contar da data das eleições de 2020”, sentenciou o juiz.

Além da cassação do mandato, o magistrado aplicou multa à prefeita e ao vice. “Condeno os investigados citados retro a pena de multa de R$ 10.000,00 (dez mil reais), levando em conta as condições econômicas deles, uma é dona de casa e outro policial militar , bem como a gravidade do fato e suas consequências”, concluiu.

As informações são de Anderson Soares