Uol Reprodução

A perda do mandato de Monteiro se deu por quebra de decoro parlamentar por causa de acusações de estupro, assédio sexual e vídeos forjados para a internet.

A sessão que determinou a cassação teve início às 16h desta quinta-feira (18) no plenário e terminou às 22h23.

Entre os 50 vereadores, 48 votaram pela perda do mandato. Os dois votos contrários à foram do próprio Monteiro e do vereador Chagas Bola (União Brasil – RJ)

Cassação de Gabriel Monteiro é publicada no Diário Oficial da Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro — Foto: Reprodução/ Diário Oficial da Câmara de Vereadores do Rio
Cassação de Gabriel Monteiro é publicada no Diário Oficial da Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro — Foto: Reprodução/ Diário Oficial da Câmara de Vereadores do Rio

No entanto, como a cassação se deu depois do prazo para registro de candidatura, o youtuber conseguiu fazê-lo com toda documentação lícita.

Gabriel Monteiro é réu em dois processos criminais. Em maio, ele passou à condição depois que a Justiça aceitou a denúncia feita em abril pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) por filmagem feita por ele de relações sexuais com uma adolescente.

No final de junho, o MPRJ também denunciou o vereador por importunação sexual e assédio sexual. Nesse caso, a investigação apurava os possíveis crimes contra a ex-assessora do parlamentar Luiza Caroline Bezerra Batista, de 26 anos.

O clima durante a sessão foi marcado pela manifestação de pessoas favoráveis e contrárias ao processo de cassação nas galerias da Câmara de Vereadores.

Painel de votação na Câmara: 48 a 2 — Foto: Reprodução
 Painel de votação na Câmara: 48 a 2 — Foto: Reprodução

Como os processos a que responde ainda não foram julgados, Monteiro segue sendo ficha limpa, outra condição para concorrer a um cargo público.

TRE ainda analisa candidaturas

Registro da canditatura de Gabriel Monteiro ao cargo de deputado federal — Foto: Reprodução
Registro da canditatura de Gabriel Monteiro ao cargo de deputado federal — Foto: Reprodução

Registro da canditatura de Gabriel Monteiro ao cargo de deputado federal — Foto: Reprodução

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) ainda vai analisar a legalidade das candidaturas apresentadas até o dia 12 de setembro. Questões éticas podem ser analisadas, assim como possíveis pedidos de impugnação de candidatura – o que já existe contra Gabriel -, e os respectivos recursos.

Passado esse último crivo, a canditatura estará apta para seguir ou não.

Gabriel Monteiro — Foto: Renan Olaz/CMRJ
 Gabriel Monteiro — Foto: Renan Olaz/CMRJ
G1