A Ucrânia afirmou que a Rússia realizou um bombardeio em uma estação de trem em Chaplyne, na região de Dnipropetrovsk, que teria deixado pelo menos 15 mortos Titter @DmytroKuleba / Foto: Reprodução

O presidente ucraniano Volodymyr Zelensky afirmou que um ataque russo contra uma estação ferroviária na região Central do país deixou 15 mortos e 50 feridos. A ação, que só foi confirmada por Zelensky, ocorre no dia em que a nação marca o Dia da Independência, sua principal data cívica, que coincide com a marca de seis meses de guerra.

— Antes deste discurso, recebi informações de que um ataque com mísseis russos na região de Dnipropetrovsk [Centro], na estação ferroviária, contra os vagões na estação Chaplyne, matou pelo menos 15 pessoas e feriu cerca de 50 — disse Zelensky.

Segundo ele, quatro vagões de passageiros “estão pegando fogo”.

— Os socorristas estão trabalhando, mas o número de mortos pode aumentar — completou.

Não há informações sobre a ação vindas de fontes independentes. No Twitter, o chanceler, Dmytro Kuleba, divulgou fotos do que seria o local do ataque: elas mostram carros e vagões de trem destruídos por um grande impacto, além de uma construção igualmente danificada.

“Como o [presidente] Zelensky reforçou no Conselho de Segurança da ONU: a terrorista Rússia precisa ser parada agora antes que mate mais pessoas na Ucrânia e além”, escreveu o chanceler.

A Rússia não se pronunciou.

Nas horas que antecederam o anúncio do ataque, a Ucrânia estava em alerta para o risco de bombardeios de grande porte contra cidades como Kiev e Kharkiv — para muitas autoridades, os russos poderiam usar o Dia da Independência, que marcou a saída da Ucrânia da União Soviética em 1991, como pretexto para ações mais ousadas. Durante a fala na ONU, Zelensky afirmou que seu país era uma nação “renascida”, e separada da Rússia.

Em abril, um ataque russo contra a estação ferroviária de Kramatorsk, na província de Donetsk, deixou 60 mortos e mais de 100 feridos. Moscou acusou os próprios ucranianos de serem os responsáveis pela ação, uma das mais violentas da primeira etapa da guerra.

Também nesta quarta-feira, uma partida da Liga Ucraniana foi suspensa quatro vezes por causa dos alertas de ataque aéreo no estádio Skif, em Lviv, Oeste do país. Em cada um dos alarmes, os jogadores e comissões técnicas do Rukh Lviv e Metalist Kharkiv foram para um abrigo, voltando após a permissão das autoridades.

O jogo, que terminou em 2 a 1 para a equipe da casa, durou quase cinco horas. Lviv chegou a sofrer ações pontuais dos russos no início da guerra, mas se mantém como um dos pontos relativamentes seguros do solo ucraniano. Apesar dos alertas, não foram registrados bombardeios na área.

A Liga Ucraniana foi retomada na terça-feira — a temporada anterior foi encerrada antes do fim, e as últimas partidas aconteceram em dezembro do ano passado, antes da paralisação de inverno. Agora, os jogos estão sendo realizados sem torcida e, como na partida em Lviv, com alarmes de ataque aéreo e abrigos antibomba.

O GLOBO