Três candidatos à Câmara Federal e dois à Assembleia Legislativa já apresentaram o pedido para retirar o nome da disputa eleitoral no próximo dia 2 de outubro. As informações foram obtidas pelo Conversa Política diretamente no sistema do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) até a noite desta quinta-feira (25).

O deputado Buba Germano (PSB), que tentava a reeleição na ALPB, renunciou ao cargo após ter a candidatura impugnada pelo Ministério Público Eleitoral em decorrência de sua inelegibilidade. A sua esposa e também ex-deputada, Gilma Germano, deve substituí-lo na disputa por uma vaga na Assembleia Legislativa.

Quem também renunciou ao pleito foi Queiroguinha (PL), filho do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. O motivo oficial para a desistência não foi informado. Queiroguinha passou a investigado pelo Ministério Público Federal (MPF) por suposto crime de tráfico de usurpação de função pública e tráfico de influência. Recentemente, quando esteve na Paraíba, o pai se irritou ao ser questionado sobre a interferência do caso na campanha eleitoral do filho.

Do mesmo partido, também teve a renúncia homologada pelo TRE-PB o candidato a deputado estadual Kelsen Bolsonaro.

Na lista estão, ainda, duas mulheres: Raphaella Lins (União Brasil), candidata a deputada estadual, que teve a candidatura impugnada por não ter se desincompatibilizado do cargo dentro do prazo para militares; e Cícera Santos (PMN), candidata a deputada federal, que foi impugnada por não ter as suas contas de campanha das eleições de 2020 julgadas não prestadas.

Os candidatos continuam com nomes, foto de urna e dados partidários no site de “Divulgação de Candidaturas e Contas Eleitorais”, pois a renúncia não desobriga os candidatos a prestar contas da campanha eleitoral pelo período em que estiveram com a candidatura registrada.

Jornal da Paraíba