Instituto Nacional do Seguro Social (INSS)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) — O INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) pagará, em novembro, o 13º a segurados que começaram a receber o benefício em 2022, após o adiantamento da primeira e da segunda parcelas.

Os valores são proporcionais, conforme a quantidade de meses em que o segurado passou a receber a aposentadoria, a pensão ou o auxílio do INSS, mas serão pagos integralmente. A consulta para saber quanto irá receber será feita pelo aplicativo ou site Meu INSS e só será aberta em novembro.

O 13º será depositado a esses beneficiários a partir de 24 de novembro, conforme o calendário oficial de pagamentos do instituto. Os depósitos terminam em 7 de dezembro. As liberações começam primeiro para segurados com direito a um salário mínimo (R$ 1.212). A partir de 1º de dezembro, são pagos os valores a quem ganha acima do piso nacional.

Os valores são proporcionais ao número de meses em que o benefício foi pago. Em 2023, esses segurados receberão a renda juntamente com os demais beneficiários, caso sejam aposentados e pensionistas. Para quem recebe o auxílio por incapacidade temporária, antigo auxílio-doença, o pagamento segue sendo feito de forma proporcional.

Têm direito ao 13º do INSS aposentados, pensionistas e quem recebe auxílios. Beneficiários do BPC (Benefício de Prestação Continuada) e Renda Mensal Vitalícia não têm 13º.

Meu INSS mostrará valores O segurado que usa o aplicativo Meu INSS ou o site meu.inss.gov.br pode conferir as datas e os valores dos benefícios antes do pagamento, mas, para isso, é preciso cadastrar uma senha. O Meu INSS também traz informações como o extrato de pagamento do benefício e a margem para o crédito consignado.

Antecipação foi feita em abril e maio como estratégia eleitoral A antecipação do benefício, como ocorreu em 2020 e 2021, foi liberada pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) em abril. Ao todo, 31,6 milhões de beneficiários do INSS têm direito ao 13º.

Atualmente, o instituto paga benefícios a 36 milhões de cidadãos, mas nem todos recebem a gratificação natalina.

A primeira parcela foi liberada em abril e a segunda, em maio, conforme calendário habitual de liberação dos benefícios previdenciários.