Ainda restam etapas, mas o Brasil deu mais um passo na negociação da entrada na Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) ao entregar o memorando inicial nesta quinta-feira, 6. A entrega do documento é uma das várias fases previstas para que o país seja incluído na OCDE. O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que o processo deverá ser encurtado, pois a aproximação brasileira aos padrões internacionais está consistente. Ele acredita que o acesso pode ocorrer no período de dois a cinco anos, mas prevê que esse tempo possa ser substancialmente abreviado e demonstra confiança: “Eles nos dizem, o secretário-geral da OCDE, ele não pode dizer isso abertamente, mas ele insinua que o Brasil está bem à frente dos demais candidatos. O acesso à OCDE, esse processo, é um processo que na verdade chega na hora certa, no momento em que o Brasil decola”. O governo está confiante em relação ao ingresso na OCDE, o ministro Chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira, destacou a importância de fazer parte da organização: “A aproximação da OCDE não é fundamentada em ideologia ou em ajudar parceiros políticos. Nós queremos o aprimoramento das políticas brasileiras, as reformas estruturantes e a criação de mais oportunidades para o nosso povo”. Peru, Argentina, Croácia, Romênia e Bulgária também requisitam uma vaga na organização.

 

Jovem Pan