Neymar está em seu melhor momento no Paris Saint-Germain desde que desembarcou na França. Neste início de temporada europeia, o atacante ainda não sofreu lesões e já soma 11 gols e 9 assistências em 13 jogos disputados com o time parisiense. Motivado, o brasileiro afirmou que está se sentindo mais completo sob o comando do técnico Christophe Galtier. “Não tem um novo Neymar. As coisas simplesmente se encaixaram. É um começo de temporada muito bom, tal qual eu tive quando eu cheguei aqui. Estou feliz por ter começado a temporada bem, ajudando com gols, assistências e deixando meus companheiros felizes. Espero continuar assim até o final. É óbvio que não sou nenhum marcador ou defensor extraordinário, mas estou tentando ajudar meus companheiros da melhor forma possível. Me sinto mais completo, podendo defender, atacar, dar assistências e fazer gols. Enfim, sou muito mais completo do que antes”, disse o craque, em entrevista ao canal oficial do PSG.

Além de tentar conquistar sua primeira Liga dos Campeões com a equipe francesa, Neymar também tem um objetivo claro nesta temporada: ganhar a Copa do Mundo, que será disputada entre novembro e dezembro, no Catar. Na conversa com a TV do PSG, o brasileiro não escondeu a ansiedade para disputar o torneio da Fifa. “Com certeza estou muito empolgado e feliz pelos jogos que estamos fazendo, seja no Paris Saint-Germain ou na seleção brasileira. O objetivo deste ano é vencer com as duas equipes, de ganhar tudo com o PSG e com a seleção. Temos uma Copa do Mundo que se aproxima. Sabemos da dificuldade, mas eu tenho um sonho muito grande de vencer”, disse o camisa 10 da Canarinho, que disputará o seu terceiro Mundial com a camisa da Amarelinha.

Já sobre a Liga dos Campeões, Neymar disse que o conjunto parisiense precisa “aprender a sofrer” na principal competição entre clubes do mundo. Atualmente com 7 pontos, o PSG lidera o Grupo H. “A Champions é um campeonato muito difícil. É um torneio de grandes equipes e jogadores. Então, em alguns momentos, temos que saber sofrer. Para ser campeã, a equipe precisa aprender a sofrer de maneira que a gente não sofra gols, não dê espaço ao adversário. Acho que é normal. Isso é bom acontecer agora para que a gente se prepare para as fases finais. Dentro de campo ou fora, vou fazer de tudo para ganhar. Sou muito competitivo”, finalizou o jogador de 30 anos.

Assista à entrevista abaixo:

 

Jovem Pan