Foto: Reprodução

O real foi a 8ª moeda que mais valorizou em relação ao dólar dos Estados Unidos em 2022. Desde o início do ano, a moeda brasileira subiu 6,9%. O levantamento é do economista-chefe da Austin Rating, Alex Agostini. Eis a íntegra do relatório (125 KB).

O dólar comercial fechou em alta de 0,05% nesta 6ª feira (7.out.2022), cotado a R$ 5,21. Na semana, porém, registrou queda de 3,31%.

O levantamento da Austin Rating usa como base a cotação do dólar divulgada pelo BC (Banco Central). O kwanza da Angola é a moeda que apresentou a maior alta no período (+29,7%). O rublo russo e o dram (da Armênia) ficaram logo atrás como as que mais ganharam força no período.

A moeda do Brasil só se valorizou menos do que o rublo russo (+18,7%) entre as principais economias do mundo.

O estudo é feito com 118 países e a zona do euro, que teve desvalorização de 13,6% neste ano. A libra esterlina, do Reino Unido, perdeu valor de 17,7% em relação ao dólar norte-americano.

Outras moedas da América do Sul desvalorizaram.O pior desempenho foi da Venezuela.

Leia a lista:

  • Bolívia (-0,6%);
  • Paraguai (-3,3%);
  • Chile (-9,5%);
  • Colômbia (-13,3%);
  • Argentina (-31,1%);
  • Venezuela (-44,1%).

A rúpia do Sri Lanka tem o pior desempenho deste ano, com uma desvalorização de 45%.

O dólar fortaleceu com a insegurança dos investidores em alocar o dinheiro em ativos de risco. A divisa dos EUA é considerada um porto seguro para momentos de turbulência. A inflação global está alta e com tendência de subir mais. Os países adotam medidas para elevar os juros e controlar o avanço dos índices de preços.

Além disso, há um quadro de desaquecimento da economia global. A economia da China desacelerou e há impactos da guerra entre Rússia e Ucrânia no PIB (Produto Interno Bruto) mundial.

BOLSA REAGE PÓS-ELEIÇÕES

O Ibovespa, principal índice da B3 (Bolsa de Valores de São Paulo, fechou aos 116.375 pontos nesta 6ª feira (7.out.2022). Registrou queda de 1,01% no último pregão. Na semana, subiu 5,76%.

Nos Estados Unidos, o Dow Jones caiu 2,11% nesta 6ª feira. O S&P 500 recuou 2,80%.

Os investidores estrangeiros colocaram R$ 4,3 bilhões na Bolsa neste mês até 4ª feira (5.out), último dado disponível. No ano, o saldo está positivo em R$ 74,3 bilhões.

Ao considerar as ofertas primárias (IPOs) e secundárias (follow-ons), o resultado fica positivo em R$ 91,9 bilhões.

Usado para medir a confiança na economia, o risco-país, ou CDS (Credit Default Swap) de 5 anos, registrou 277 pontos nesta 6ª feira (7.out.2022). Há 1 ano (7.out.2021), registrava 202.

PODER 360