Kayon foi vice-campeão da divisão especial em 2021 e 2022 (Foto: Reprodução / Arquivo Pessoal)

O atleta Kayon Max, consolidado na Paraíba há três anos, vai representar o estado junto a seleção brasileira universitária de vôlei durante o FISU América Games 2022. A competição será realizada na cidade de Mérida, no México, de 14 a 26 de outubro. Às vésperas do embarque – que acontece já na próxima segunda-feira (10) – o jogador detalhou, em entrevista ao Portal T5, parte do processo que o levou a um dos momentos mais importantes da carreira.

Natural do Pará, Kayon recebeu o convite para estudar e jogar na terra onde o sol nasce primeiro. Na Paraíba, é residente da Casa do Estudante.

“Sou um atleta paraense que a três anos recebeu a proposta de jogar e estudar na Paraíba. Aqui defendendo o escudo da faculdade Maurício de Nassau. Fomos vice-campeões universitários da divisão especial no ano de 2021. Vale ressaltar que fizemos história e colocamos o nome da Paraíba no topo da elite do voleibol universitário e não foi por sorte, foi por muito trabalho duro e por isso sou muito grato aos meus colegas de equipe e meus técnicos Zé Geraldo e André Uchôa”, adiantou.

Os feitos são muitos. Recentemente, a equipe qual pertence repetiu o feito, sendo também vice-campeã universitária da divisão especial de 2022.

Foto: Arquivo Pessoal

 

“Isso só confirma que não é sorte. É muita dedicação! Temos uma rotina de treino muito intensa. São cinco dias na semana. Além de manutenção muscular na academia e treino com bola em quadra temos que trabalhar bem o tempo para dar conta dos estudos. A vida de atleta universitário não é fácil. Mas, a convocação pra seleção brasileira universitária mostra que o trabalho vale a pena é que o sonho é possível quando se trabalha duro”, exclamou.

Para Kayon, a parte que ele mais ‘sente’ em todo processo é quando ‘bate’ a saudade dos familiares. “Ficar longe da família e dos amigos foi a parte mais difícil quando tomei a decisão de vim morar na Paraíba. Porém hoje percebo que ganhei outra família aqui, a família do voleibol. Por isso, essa convocação não é só minha e sim de toda essa equipe”, completou.

Aos poucos ele entende que o trabalho revela também a força do voleibol nordestino. “É feito com muita garra, força de vontade e união”.

Sobre a convocação da Confederação Brasileira do Desporto Universitário (CBDU), frisou: “o sonho de todo atleta é defender a bandeira do seu país. Estou muito feliz com essa oportunidade e minha maior expectativa é que eu consiga fazer uma boa competição. E desta forma levar essa energia boa que recebi aqui na Paraíba para o México”.

 

t5