O comunicador Nilvan Ferreira (PL) anunciou na manhã desta segunda-feira (10) que manterá neutralidade durante o segundo turno das eleições para governador da Paraíba. Nilvan foi o terceiro candidato ao governo do estado mais votado na Paraíba, com 406.604 votos (18,68%). Ao longo de coletiva na Asssociação Paraibana de Imprensa (API), Nilvan agradeceu aos eleitores e informou o posicionamento.

O encontro na API começou por volta das 10h e conta com a presença de filiados ao Partido Liberal. Em sua fala inicial Nilvan classificou seus eleitores como “uma legião de pessoas que acreditou na mudança, no novo jeito de fazer política” e criticou a aliança do MDB com o PSDB.

Ao anunciar o posicionamento neutro, Nilvan justificou que “não sobe em palanque onde tem a esquerda” e afirmou que em seu ponto de vista, o  palanque do PSDB foi “contaminado” por figuras políticas que coordenaram a campanha de Lula no estado e pediram voto ao ex-presidente, além de terem realizado críticas ao mandato de Jair Bolsonaro (PL).

“Eu não posso ser fiel a Bolsonaro se estiver num palanque onde tenha a esquerda, onde tenha Veneziano. Que foi o candidato de Lula e que tão atacou o meu presidente eu tive que ir nos debates enfrentá-lo para defender Bolsonaro”, explicou o candidato do PL que declarou que prefere ser coerente com princípios. Nilvan disse que respeita quem tiver a posição diferente da dele.

“Eu poderia estar me valorizando para negociar o que for, como geralmente se negocia cargos, prestígio, espaços. Eu abdico de tudo isso. Não quero cargo, não quero prestígio de nada. Eu quero me manter fiel [a Bolsonaro] e ser lembrado como um homem que foi coerente”, enfatizou o comunicador filiado ao Partido Liberal.

Relação com Pedro Cunha Lima 

Ao longo da coletiva, Nilvan detalhou que tem uma relação boa com Pedro Cunha Lima e aliados, porém no “jogo” estará em posição diferente do candidato do PSDB. ” Eu não subo em palanque onde tem a esquerda. Tenho uma relação boa com Pedro Cunha Lima, tenho relações boas com todos que estão lá, mas agora nós estamos em jogo, agora é posições” informou.

Porém, disse que faltou a Pedro uma declaração ‘forte’ de que apoia Bolsonaro. “Faltou a Pedro uma declaração forte de que apoia meu presidente [Bolsonaro]. Lula tem candidato a governador, mas Bolsonaro não tem candidato a governador. E precisava ter um gesto de declaração, de apoio ao meu presidente [Bolsonaro]”, sendo um dos fatores para que o comunicador optasse por declarar neutralidade na disputa pelo governo do estado.

Campanha de Bolsonaro

Nilvan informou que irá participar no segundo turno de passeatas, carreatas e motociatas a favor de Bolsonaro. “O soldado da frente será Nilvan, porque sou coerente a Bolsonaro, declarou. Conforme apurou o ClickPB, Ferreira também informou que irá percorrer novamente os municípios que esteve durante o primeiro turno pedindo voto para a presidência da república.

Confira parte da coletiva:

 

Joaquim Neto/ClickPB