Neymar chega a tribunal de Barcelona para investigação na sua transferência para o Barcelona. (Foto: Albert Gea/REUTERS)

O atacante Neymar, do Paris Saint-Germain e da seleção brasileira, deve depor na terça-feira (18) no julgamento realizado na Espanha sobre acusações de suposta fraude e corrupção em sua transferência do Santos para o Barcelona em 2013.

Junto com Neymar, outros oito réus estão em julgamento, incluindo seus pais, representantes dos dois clubes, os ex-presidentes do Barcelona Josep Maria Bartomeu e Sandro Rosell e o ex-presidente do Santos Odílio Rodrigues.

Todos os réus negaram qualquer irregularidade.

O juiz José Manuel del Amo Sanchez aceitou o pedido de defesa de Neymar para ele prestar depoimento na terça-feira, em vez de sexta-feira, conforme planejado originalmente, já que o PSG tem um jogo marcado para este dia.

Os promotores espanhóis estão pedindo uma pena de prisão de dois anos e multa de 10 milhões de euros para Neymar. Eles também estão buscando uma pena de cinco anos de prisão para o ex-presidente do Barça Sandro Rosell e multa de 8,4 milhões de euros para o clube.

O caso se concentra na alegação feita pela empresa brasileira de investimentos DIS, que detinha 40% dos direitos de Neymar quando ele estava no Santos, de que não recebeu sua fatia legítima da transferência do jogador porque o valor do negócio foi subestimado.

A DIS busca uma pena de cinco anos de prisão para Neymar, multas no valor total de 149 milhões de euros e que o atacante seja vetado de jogar pela duração de qualquer sentença proferida.

Vestido de preto, Neymar e seu pai conversaram e riram com Rosell no saguão do tribunal antes do início do julgamento, pouco depois das 10h.

Sentado no banco dos réus, Neymar às vezes parecia distraído, olhando para baixo e bocejando.

Ele riu quando o juiz José Manuel del Amo Sánchez sugeriu que ele deveria estar cansado depois de marcar o único gol na vitória crucial do PSG contra o Olympique de Marseille na noite de domingo.

“Neymar, com a conivência de seus pais e das diretorias do Barcelona e do Santos, traiu a confiança dos meus clientes”, disse o advogado da DIS Paulo Nasser em entrevista coletiva em Barcelona na quinta-feira.

“O custo real da transação (entre Santos e Barcelona) foi de 82 milhões de euros, e apenas 17 milhões apareceram como a transferência oficial.”

Todos os réus negaram repetidamente qualquer irregularidade.

A advogada Maria Masso, da Baker McKenzie – empresa que defende Neymar e sua família – disse que o jogador não cometeu nenhum crime e que os eventos que estão sendo julgados ocorreram no Brasil, argumentando que os tribunais espanhóis não têm competência para processar a família Neymar.

Neymar perdeu um recurso sobre o caso na Suprema Corte da Espanha em 2017, abrindo caminho para o julgamento.

 

REUTERS