Reprodução

Os dois candidatos que concorrem ao segundo turno da eleição, o governador João Azevedo (PSB), e o deputado federal Pedro Cunha Lima (PSDB), seguem com as campanhas nas ruas em busca dos votos necessários que os garanta a vitória no dia 30 de outubro. Junto com essa peregrinação, segue crescendo as despesas da corrida eleitoral dos dois.

Divulgacand do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mostra que juntos eles já gastaram mais de R$ 13,3 milhões.

João Azevedo já contratou, como despesas de campanha, o total de R$ 7.858.914,99, de acordo com os dados do Divulgacand. O limite legal seria de R$7.115.522.46.

Conforme o sistema, ele recebeu até esta sexta-feira (14), na sua conta de campanha a quantia de R$5.063.481,00. Desse total, R$ 3,5 milhões foram destinados pelo PSB, através do fundo partidário.

Já o tucano Pedro recebeu R$ 7.144.700,00. O PSDB destinou R$ 6.029.000,00. O Divulgacand informa que ele contratou, até o momento, um total R$ 5.505.624,45 de despesas.

De acordo com a regra do TSE, os candidatos que concorrem ao segundo turno poderão gastar 50% a mais do limite de despesas estabelecidos durante o primeiro turno. Com isso, fazendo o recorte para o estado da Paraíba, o limite de gastos que era de R$ 7.115.522,46 foi acrescido de R$ 3.557.761,23, totalizando R$ 10.673.283,69 para cada candidato gastar até o final do segundo turno.

João x Pedro: o que diz o plano de governo dos dois candidatos?

Faltam dez dias para a definição de quem será o próximo governador da Paraíba. Mas o que prospectam os dois candidatos em seus planos de governo para colocar em prática nos próximos quatros anos? Esse questionamento é feito por milhares de paraibanos que nem sempre buscam a carta proposta dos candidatos disponível nas plataformas de comunicação digital.

F5 Online traz um resumo do documento a partir da pesquisa realizada na base de prestação de contas registrada no TSE.

O plano de governo do candidato à reeleição João Azevedo tem 13 páginas. Já o de Pedro, é detalhado em 34. Os dois têm em comum várias ações e programas, a exemplo do fortalecimento do sistema hídrico e da rede hospitalar, além da realização de concurso público nas áreas de segurança, saúde e educação. Todavia, o do tucano planeja ainda concurso para a Sudema.

O plano do socialista João Azevêdo está dividido em três eixos principais: Paraíba em boa governança, Paraíba nos princípios sustentáveis, Paraíba inteligente e inovadora. Neles estão subitens que detalham as políticas públicas que serão desenvolvidas ao longo dos quatro anos.

O de João esclarece ainda que, todo o seu conteúdo foi pensado levando em consideração o contexto socioeconômico atual e que ainda causa sofrimento, resultante dos impactos da pandemia na saúde, na educação, no emprego, na renda e em tantos outros setores da economia e da vida.

O plano do PSB projeta melhorar a oferta da educação profissional através da aquisição de laboratórios, contratação de professores especializados e monitoramento através de indicadores da Educação Profissional e Tecnológica (EPT).

Na área de saúde, o programa destaca a ampliação do Programa Opera Paraíba para ofertar novas modalidades de cirurgias e exames de média e alta complexidades, a consolidação do Centro Estadual de Regulação Hospitalar.

Plano de governo do PSDB

Já o do deputado federal Pedro Cunha Lima, foi construído sob cinco principais dimensões: Bem estar social, dinamismo econômico, dimensão ambiental, agenda transversal, governança pública.

parlamentar, na publicação, afirma que no seu planejamento foram pensadas ideias que possam melhorar a vida dos paraibanos e que nele está contido mais do que um conjunto de intenções governamentais e boas práticas de gestão. Conforme explica, no plano está é uma iniciativa viável para a construção de um estado efetivo e vetor de melhorias na vida das pessoas.

Um dos itens deixa claro que será dada atenção especial e integral a todas as escolas sem professores, com problemas graves de infraestrutura, com indicadores de aprendizagem insuficientes e sem comunicação.

Já na área de segurança Pública, Pedro pretende construir, coletivamente, o Plano Estadual de Segurança e Defesa Social da Paraíba, bem como criar, mediante decreto o Gabinete de Gestão Integrada em Segurança Pública (GGI) e estimular a criação e funcionamento de Gabinetes de Gestão Integrada em Segurança Pública Municipais (GGIM).

Ausência

Nos programas dos dois candidatos percebe-se a ausência de políticas e ações abrangentes voltadas ao tema do transporte intermunicipal de passageiros, sua estrutura, logística e enfrentamento aos clandestinos, bem como, fiscalizações de serviços prestados pelas empresas detentoras de concessão pública.

No plano do PSB, existe apenas pequena e única citação em realizar investimentos, em parcerias com os municípios, todavia, nada mais detalhado que possa nortear o que deverá ser feito pelo setor que nas últimas décadas vem perdendo qualidade em serviço. No do PSDB, não há informações das pretensões.

Leia o plano de governo completo de João Azevêdo clicando aqui

Leia o plano de governo completo de Pedro Cunha Lima clicando aqui

f5