O presidente Jair Bolsonaro concedeu nesta 5ª feira entrevista ao podcast Inteligência Ltda.

O presidente Jair Bolsonaro (PL) sugeriu que Neymar da Silva Santos, pai do jogador de futebol Neymar Júnior, processasse o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) por dizer que ele havia feito um acordo com o atual chefe do Executivo.

“É uma acusação leviana. Se eu tiver oportunidade de falar com o pai do Neymar, processa o cara, pô: denunciação caluniosa”, declarou Bolsonaro durante entrevista ao podcast Inteligência Ltda., na 5ª feira (20.out.2022).

A fala do presidente é em referência a uma declaração de Lula ao Flow Podcast, gravado na 3ª feira (18.out.2022). Questionado sobre o apoio de Neymar a Bolsonaro, o petista disse que o jogador tinha “medo” de que ele ganhasse as eleições.

“Eu acho que ele está com medo de se eu ganhar as eleições e descobrir que o Bolsonaro perdoou a dívida do imposto de renda dele”, afirmou o ex-presidente.

Lula acrescentou que Bolsonaro havia feito um acordo com o pai do atacante, que agora enfrenta problemas com o seu imposto de renda na Espanha. “Isso não é um problema do presidente, é da Receita Federal, não meu”, destacou.

O atacante do Paris Saint-Germain declarou apoio a Bolsonaro em 29 de setembro, poucos dias antes do 1º turno das eleições.

Problemas com o imposto de renda

Em 2019, o pai de Neymar se reuniu com Bolsonaro no Palácio do Planalto para tratar do processo contra o jogador que tramitava no Carf (Conselho Administrativo de Recursos Fiscais).

Neymar havia apresentado dias antes um recurso ao conselho em que pedia anulação do processo que cobrava a multa. A dívida, de cerca de R$ 8 milhões, ainda não foi resolvida e está na Justiça.

Inicialmente, o montante cobrado pela Receita era de R$ 188,8 milhões, referente à multa aplicada em 2015, mas o Carf analisou recurso do jogador e reduziu o valor ao considerar que parte das sanções não eram aplicáveis.

Na época, Bolsonaro pediu que Neymar Santos fosse recebido pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, e pelo então secretário da Receita Federal Marcos Cintra.

A investigação do Fisco era referente a suspeitas de sonegação de impostos relativos, principalmente, da sua transferência do Santos para o clube espanhol Barcelona e a omissão de rendimentos fruto do seu trabalho e de contratos de publicidade. O período investigado foi de 2011 a 2013.

Em 2019, Neymar recorreu da decisão do Carf, mas o pedido foi negado. O jogador então acionou o TRF-3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região).

O atacante depositou R$ 88,8 milhões em conta judicial como garantia à execução, em 2021.

Já em 29 de julho deste ano, a Corte concedeu habeas corpus ao jogador e suspendeu o processo criminal contra ele. A decisão provisória, no entanto, não encerra o caso.

Na 3ª feira (18.out.2022), durante o julgamento que apura suposta fraude fiscal, Neymar negou saber de possíveis irregularidades na transferência para o Barcelona.

O atacante, atualmente no Paris Saint Germain, afirmou que só assinava os documentos solicitados por seu pai, Neymar Santos. “Sempre foi meu pai que cuidou de tudo, sempre foi responsável por isso”, disse o jogador perante tribunal na Espanha.

Poder 360