Diversas regiões da Ucrânia estão no escuro por causa dos bombardeios russos

De acordo com o anúncio do vice-chefe de gabinete da presidência da Ucrânia, Kyrylo Timoshenko, mais de um milhão de residências ucranianas estão sem energia elétrica após os ataques russos às instalações energéticas de todo o país. “Até o momento, 672.000 clientes foram desconectados na região de Khmelnytskyi, 188.400 em Mykolaiv, 102.000 em Volyn, 242.000 em Cherkasy, 174.790 em Rivne, 61.913 em Kirovograd e 10.500 em Odessa”, detalhou Timoshenko neste sábado, 22. O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, declarou que a Rússia executou um ataque em larga escala contra a Ucrânia após bombardeios contra infraestruturas cruciais, que provocaram cortes de energia elétrica. “O agressor continua aterrorizando nosso país. Durante a noite lançou um ataque em larga escala: 36 mísseis, a maioria dos quais foi derrubada. São ataques vis contra alvos críticos. Táticas típicas de terroristas”, afirmou o chefe de Estado nas redes sociais. Devido à escassez de energia elétrica, como resultado dos ataques, a Ucrânia foi forçada a introduzir cortes de luz.

Foi declarado um alerta aéreo em todo o território da Ucrânia que durou cerca de três horas, durante as quais os russos realizaram ataques em várias regiões do país. De acordo com o comando da força aérea ucraniana, a Rússia lançou ataques com pelo menos dez aeronaves estratégicas Tu-160 e Tu-95, na área de Volgodonsk, na região de Rostov, disparando 17 mísseis de cruzeiro J-101 (J-555). Além disso, as forças russas lançaram 16 ataques de mísseis de cruzeiro Kalibr de navios no Mar Negro. Enquanto isso, a força aérea ucraniana conseguiu destruir, em diferentes regiões do país, um total de 18 mísseis de cruzeiro.

 

Jovem Pan