Reprodução

Em poucas horas será noticiado ao poder público do estado de São Paulo, por meio de uma delegacia especializada em crimes cometidos em ambiente cibernético, a formalização do crime contra a honra de Yasmin Brunet, acusada de tráfico humano. A denúncia do caso é real, mas não se refere a modelo e influenciadora, que teve seu nome envolvido de maneira especulativa e criminosa após participação em uma live. Todos os detalhes do caso que virou assunto no Brasil na semana passada serão esclarecidos nesta quarta-feira (26/10) para os órgãos competentes.

A defesa de Yasmin Brunet está a cargo do advogado Robson Cunha. O caso de tráfico humano que envolveu o nome de Yasmin Brunet é investigado pela Polícia Civil de Minas Gerais. O nome da modelo foi citado por uma suposta vítima, de 21 anos, que alegou ter escapado de um cativeiro comandado pela influenciadora e a coach Katiuscia Torres Soares, conhecida como Kate.

Na semana passada, a coluna LeoDias conversou por telefone com Luiza Brunet para saber como Yasmin estava diante de tamanha repercussão. “Yasmin está assustada, tentando entender tudo que está acontecendo. Vai se pronunciar em breve, ela está desnorteada”, disse a mãe da modelo, também bastante abalada.

Entenda o que está acontecendo e de que forma o caso ganhou repercussão

O caso ganhou repercussão nas redes sociais no início da semana após o desaparecimento de uma jovem brasileira chamada Letícia Maia levar sua família a fazer um apelo público. Letícia não dava notícias desde agosto. Segundo consta, ela estaria viajando aos Estados Unidos para ser atendida por Kate.

Foi então que o caso começou a ser investigado pela Polícia Civil de Minas Gerais, o Itamaraty e os EUA. Na última terça-feira (18/10), Letícia reapareceu em vídeo, bastante abatida, com olheiras e falas desconexas.

Yasmin Brunet é citada pela suposta vítima em um vídeo que caiu nas redes sociais

Ela afirma que fugiu de um cativeiro, mas que uma amiga, também dada como desaparecida, segue sob o poder de sequestradores. “Gente, eu quero a ajuda de vocês. Eu estou tentando falar e vocês não estão acreditando. Por favor, a Desirrê está em perigo. A Yasmin Brunet ainda está com ela lá, eu consegui sair do cativeiro”, disse Letícia.

Em publicação no Instagram, Yasmin se pronunciou pela primeira vez sobre o caso

A modelo ressaltou que um assunto como esse é extremamente sensível e não pode ser banalizado, e sim tratado com urgência. “Entrei nessa história buscando ajudar, mas agora, vendo essa confusão que estão fazendo, entendi que buscam apenas atenção. Só quer fazer isso envolvendo um assunto tão importante e chocante”, disse ela na primeira parte do texto.

“Tráfico humano é um assunto grave, não é para brincar ou ganhar fama em cima. Quanto mais a gente banaliza, mais essas vítimas se tornam invisíveis, parte para um senso ficcional, sendo que esse mercado horrível existe, movimenta muito dinheiro em cima dos corpos das mulheres. Tráfico humano não é fanfic, É assunto sério e urgente”, concluiu.

 

METRÓPOLES