Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil)

O valor máximo de alimentação dos mesários que vão trabalhar nas eleições de 2022 foi reajustado para o segundo turno. Quem for trabalhar no pleito do próximo domingo (30) terá direito a receber até R$ 55 para cobrir as despesas. No primeiro turno o valor foi de R$ 45.

Essa adequação consta na portaria publicada no Diário Oficial da União nesta quarta-feira (26). Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), após solicitações dos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs), houve uma adequação do valor.

Nas eleições municipais de 2020, o valor era de R$ 40. A portaria desta quarta determina ainda que cabe aos TREs, considerando as particularidades locais e disponibilidade orçamentária, definir quem será beneficiado com o pagamento.

A restrição é que fica proibido o pagamento do benefício aos magistrados e promotores da Justiça Eleitoral e aos servidores dos Tribunais Eleitorais.

Fica a critério dos TREs fornecer alimentação no lugar do dinheiro, mas deve ser respeitado o teto do valor de  R$55 por pessoas, como prevê a medida.

Em alguns estados, como São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, há também a possibilidade do pagamento ser feito por Pix.

Para receber o benefício nessa modalidade, é necessário que o beneficiário que trabalha nas eleições tenha uma chave Pix cadastrada com o CPF em qualquer instituição financeira.

No caso do Banco do Brasil, no entanto, a instituição só aceitará a chave Pix do tipo CPF. Com isso, não será possível o pagamento do auxílio para outras chaves Pix, mesmo que vinculadas ao beneficiário.

Para os mesários e colaboradores de estados que não oferecem a opção do pagamento via Pix, é preciso baixar o app do Banco do Brasil “Carteira Digital bB”, que está disponível nas lojas virtuais de aplicativos, para receber o valor.

Money Times