Jair Bolsonaro no interior do Palácio da Alvorada, em Brasília (Foto: Reprodução)

O presidente Jair Bolsonaro (PL) confirmou ao repórter da Record TV, Thiago Nolasco, que fará um pronunciamento ainda nesta terça-feira (1º). Será a primeira vez que ele fala após o resultado das eleições.

“Estamos acertando o horário aqui, está caminhando para a gente resolver. Não posso bater o martelo ainda porque precisamos confirmar o horário aqui”, afirmou Bolsonaro a PRF afirma que identificou policiais que apoiaram manifestantes em rodovias

O pronunciamento do presidente é aguardado desde o resultado das eleições, divulgado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por volta de 19h50 de domingo (30).

Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi eleito em segundo turno para o Palácio do Planalto derrotando o atual chefe do Executivo.

O petista vai ocupar a Presidência da República pela terceira vez na história. Ele já teve dois mandatos como presidente do Brasil, entre 2003 e 2010. O vice-presidente será Geraldo Alckmin (PSB).

Campanha

Lula foi eleito sob a bandeira de “resgatar a esperança” do Brasil. No plano de governo dele, o petista fala em transformar “um país devastado por um processo de destruição que nos trouxe de volta a fome, o desemprego, a inflação, o endividamento e o desalento das famílias”.

O presidente eleito tem como principal compromisso implantar políticas públicas para socorrer a população mais vulnerável, sobretudo para combater a fome. Lula promete manter o Auxílio Brasil em R$ 600 e transferir um adicional de R$ 150 para famílias beneficiárias do programa que tenham filhos de até 6 anos de idade — o bônus será pago a cada criança dentro dessa faixa etária. A ideia do presidente eleito é retomar o nome Bolsa Família para o programa.

Rodovias ocupadas

Após o resultado das eleições, manifestantes que não aceitam a vitória de Lula começaram uma ocupação em diversas rodovias do país.

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou na noite desta segunda-feira (31) a “imediata desobstrução” de rodovias do país bloqueadas por caminhoneiros. Na decisão, o magistrado também ordena a prisão do diretor-geral da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Silvinei Vasques, em caso de descumprimento.

Nesta terça (1º), em nova decisão, Moraes determinou também que as Polícias Militares nos estados atuem imediatamente para liberar as rodovias bloqueadas por manifestantes que protestam contra o resultado das eleições.

 

r7