O feriado de Finados é celebrado nesta quarta-feira (2) no Brasil e em alguns países. A data remete ao luto, à saudade e a homenagens aos mortos. A data também traz variados aspectos religiosos e culturais que são aplicados em diversas partes do mundo.

A data comemorativa é muito antiga no calendário católico, conforme explica a antropóloga e bacharel em Direito Mirella Braga, professora de Direito e Serviço Social da Unipê.

“Em artigo publicado em 2010 pela antropóloga Misia Reesink, ela nos endereça o dia de Finados ao início no século 11, sendo o dia designado pela Igreja Católica como data em que a Igreja Militante, ou seja, os vivos católicos, se lembra e se apieda da Igreja Penitente, que são as almas ainda não completamente salvas”, explica a professora.

Quanto à origem das comemorações, a antropóloga diz que a festa foi instaurada pelo abade Odilon, de Cluny, na França, por volta de 1030, expandindo-se, em pouco tempo, por todo o mundo católico como celebração de seus mortos.

“O dia de Finados tornou-se especial, dedicado à memória das pessoas que faleceram, cabendo aos vivos a iniciativa de ressignificar, ano após ano, os laços para com seus parentes e amigos na ida aos cemitérios, ao visitar os túmulos (tradição forte católica) e frequentar uma missa para ‘entregar’ a alma da pessoa falecida”, comenta Mirella Braga.

Celebrações pelo mundo

O dia de Finados é uma celebração universal, tendo as suas peculiaridades de acordo com o contexto no qual o grupo ou o indivíduo está inserido, explica a professora.

“Serve como um momento de relembrar o amigo, parente ou pessoa do convívio que morreu. É fácil perceber essa importante peculiaridade ao pensarmos no filme mexicano ‘A Vida É Uma Festa’ [2017], em que os mexicanos celebram os dia dos mortos [Finados] de maneira mais festiva e colorida”, afirma.

A professora relata que no filme é possível perceber que os mexicanos, diferentemente dos brasileiros, festejam os mortos com flores, retratos das pessoas mortas e pequenas oferendas com velas, além da exposição de caveiras pintadas com cores contrastantes. Por lá, a data é conhecida como Dia de Los Muertos. “Também faz parte do ritual dos mexicanos escutar músicas que relembrem seus entes queridos”, acrescenta.

A mistura entre as culturas cristã e pré-colombianas – que ocupavam a América antes da chegada dos europeus – acrescentou novos ritos ao Dia de Finados. Em alguns lugares, o Dia dos Mortos é uma expressão cultural das mais importantes e atração turística.

CNN Brasil