A defesa do ex-deputado Roberto Jefferson ingressou com uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para pedir a suspeição do ministro Alexandre de Moraes no comando do inquérito das milícias digitais. O pedido inclui a petição em que o magistrado determinou a prisão em flagrante do ex-parlamentar em prisão preventiva. O documento busca impossibilitar que o ministro atue em determinado processo e a defesa de Jefferson argumenta que Moraes seria imparcial. No mesmo pedido, há a alegação de que o ministro determinou a abertura do inquérito sem que Roberto tivesse foro privilegiado para responder à ação no STF. Jefferson segue preso no presídio de Bangu, no Rio de Janeiro, após ser detido a pedido de Moraes. Na ocasião, o ex-deputado federal recebeu os policiais a tiros de armas de grosso calibre e granadas. Dois agente ficaram feridos e a Polícia Federal abriu um processo contra o ex-presidente nacional do PTB, acusado de quatro tentativas de homicídio.

Jovem Pan