Equipe de transição do novo governo se reúne nesta segunda-feira (7), em São Paulo (SP) RICARDO STUCKERT

O presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), participa nesta segunda-feira (7), a partir das 10h, de reuniões com a equipe de transição de governo, em São Paulo (SP). O encontro vai discutir opções para adequar o orçamento do próximo ano às promessas feitas durante a campanha eleitoral, como a manutenção do Auxílio Brasil em R$ 600.

O processo de transição começou oficialmente na última quinta-feira (3), em Brasília. Lula deve chegar à capital na terça-feira (8) para mais reuniões com a equipe de transição e encontros institucionais no Congresso Nacional e no Supremo Tribunal Federal.

Os integrantes da equipe do governo de transição indicada por Lula já começam a ocupar as instalações do Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), espaço que sedia o grupo durante os próximos dois meses, em Brasília.

De acordo com a presidente do PT e deputada federal, Gleisi Hoffmann, a previsão é que o grupo comece “não com toda a equipe formada, mas com uma equipe de administração, que fará essa parte de apoio, para que, quando as equipes da transição das áreas temáticas chegarem, esteja tudo pronto”. Gleisi Hoffmann e o ex-ministro Aloizio Mercadante, que vão integrar a equipe do governo de transição, visitaram o CCBB no fiml da manhã da última sexta-feira (4).

PEC da transição

A PEC da transição será oficialmente apresentada por Lula e Alckmin, em Brasília, nesta terça-feira (8). O texto prevê retirar do teto de gastos as despesas consideradas pela equipe como inadiáveis, como o pagamento de R$ 600 do Auxílio Brasil em 2023, uma promessa da campanha de Lula.

Durante uma entrevista coletiva na última sexta, Gleisi informou que o partido analisa as informações e os dados sobre a PEC da transição e defendeu a manutenção do Auxílio Brasil em R$ 600 e o aumento real do salário mínimo em 2023.

r7