O vice-presidente do Senado Federal, senador Veneziano Vital do Rêgo (MDB-PB), conseguiu aportar mais R$ 50 milhões para garantir o sequenciamento da duplicação da BR-230 no trecho a partir de Campina Grande em direção ao Sertão do Estado. O aporte foi possível, segundo ele, graças a uma emenda apresentada pelo parlamentar paraibano na Comissão de Serviços de infraestrutura. A emenda foi acolhida pelo relator do Projeto de lei Orçamentária Anual de 2023 na Comissão, senador Eduardo Braga, do MDB-AM. Com mais estes recursos garantidos, o projeto de duplicação, iniciado com aporte de R$ 10 milhões dos senadores Veneziano e Nilda Gondim (MDB-PB) para o Orçamento deste ano terá a garantia do prosseguimento.

Ao participar da reunião que definiu as emendas prioritárias na CI, Veneziano destacou a importância da obra, considerando estudos técnicos já realizados, frutos da atuação do ex-senador Vital do Rêgo, lembrado por Veneziano como o agente político que iniciou a luta pela duplicação e que comprovaram a necessidade da obra, a partir do grande fluxo de veículos no trecho, sobretudo veículos que transportam carga. Ele fez questão de ressaltar, “até por dever de justiça”, que seu irmão Vital Filho, quando senador, alocou recursos para o Estudo de Viabilidade Técnica e garantiu a indicação das emendas para o início da obra no Plano Plurianual e que agora, para que a justa reivindicação dos paraibanos fosse concretizada, aportou recursos da ordem de R$ 10 milhões, junto com a senadora Nilda, para execução neste ano de 2022, e, para 2023, mais R$ 50 milhões no Orçamento, através de sua emenda na CI.

– Nós iremos sempre compartilhar os recursos necessários para a execução de todas as etapas da obra. Este é um compromisso nosso – afirmou Veneziano, citando que por esse trecho da BR-230 passam diariamente milhares de veículos, seguindo para várias regiões do Estado, como o cariri, sertão, Alto Sertão, Seridó e parte do Curimataú, além de várias partes do país. O alto fluxo de veículos, a frequência de acidentes, muitos com vítimas fatais, e a necessidade de melhorar o escoamento da produção da região para o Brasil inteiro faz dessa obra uma prioridade essencial.

 

Assessoria