Foto: Sérgio Lima/Poder360

A PEC (proposta de emenda à Constituição) que permite ao presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), furar o teto de gastos para bancar promessas de campanha deve ser protocolada na segunda-feira (28.nov.2022). A expectativa é que o petista viaje a Brasília na próxima semana e ajude a destravar o projeto.

A aprovação da PEC no Congresso até o fim deste ano é a maneira escolhida pelo futuro governo para manter o valor do Auxílio Brasil em R$ 600, com adicional de R$ 150 para famílias com filhos de até 6 anos. A proposta também liberaria R$ 105 bilhões para recompor o orçamento da Farmácia Popular e outros programas.

Lula escalou alguns de seus aliados mais hábeis para articular a aprovação da PEC –entre eles, o vice-presidente eleito, Geraldo Alckmin (PSB). No Senado, as conversas são tocadas pelos senadores petistas Wellington Dias (que ainda não tomou posse), Paulo Rocha e Jaques Wagner.

No entanto, o Poder360 apurou que os congressistas querem negociar com quem terá a caneta na mão nos próximos anos. Por isso, o envolvimento de Lula pode ser fundamental para a aprovação.

Poder360