Bolsonaro e Wajngarten vão depor em inquérito sobre ‘importunação’ a baleia

Bolsonaro ironizou as investigações no ano passado. Na ocasião, o ex-presidente provou o ministro da Justiça, Flávio Dino, chefe formal da PF.

O ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e seu advogado Fabio Wajngarten foram intimados pela Polícia Federal a depor num inquérito que apura se o ex-chefe do Executivo federal “importunou” uma baleia jubarte. O caso teria ocorrido durante um passeio de jet sky no litoral de São Paulo em junho do ano passado.

Ambos devem comparecer a uma delegacia da corporação, em 7 de fevereiro, ou responder às perguntas por videoconferência. Wajngarten foi intimado porque acompanhava Bolsonaro no passeio que virou alvo de diligência policial.

Na ocasião, Bolsonaro andou de jet sky e teria, segundo a PF, passado perto do mamífero aquático. A investigação é pelo suposto crime de “importunação intencional”.

Bolsonaro ironizou investigações

Bolsonaro ironizou as investigações no ano passado. Na ocasião, o ex-presidente provou o ministro da Justiça, Flávio Dino, chefe formal da PF.

“Todo dia tem uma maldade em cima de mim, a de ontem foi que estou perseguindo baleias. A única baleia que não gosta de mim lá na Esplanada é aquela que está no ministério. É aquela que diz que eu queria dar o golpe agora no dia 8 [de janeiro de 2023]”, disse ele, em novembro de 2023.

“Mas aquela baleia some com os vídeos do seu ministério”, complementou Bolsonaro, referindo-se às imagens das câmeras de segurança do Ministério da Justiça no dia em que as sedes dos Três Poderes foram invadidas e depredadas.

Por O Antagonista