Após fuga de presos, Ministério da Justiça determina reforço na segurança de presídios federais

O Ministério da Justiça determinou que todos os presídios federais do País adotem com urgência uma série de medidas para reforçar a segurança das unidades. A ação veio uma semana após a fuga de dois presos da Penitenciária Federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte.

De acordo com o que foi apurado pelo jornalista César Tralli da GloboNews, entre as medidas estão:

Revistas diárias em todas as celas, pátios de sol e parlatórios, além de reportar, via relatório, a diretoria responsável;

Implementação de rondas externas;

Realizar todos os esforços necessários para substituir imediatamente as câmeras de segurança que não estiverem funcionando e/ou com especificações não recomendadas para a especificidade das Unidades Penais Federais;

Reforço da estrutura das luminárias existentes no interior das celas, de forma que impossibilite ou dificulte a sua retirada pelos internos;

Instalação de grades/brises nas saídas para o shaft como alternativa para a falta de laje;
Aumento do nível de atenção em todos os postos de serviço;

Reforço de pessoal nas penitenciárias federais, com mobilização de policiais penais da sede, se necessário, assim como a suspensão das missões dos servidores lotados nas penitenciárias em atuação na sede;

Instalação de refletores em pontos estratégicos;

Troca imediata de todas as lâmpadas e luminárias em mau funcionamento, bem como instalar nos locais de baixa luminosidade, desde que não prejudique o adequado monitoramento;

Ainda de acordo com o ofício ao qual o canal teve acesso, há a determinação de uma inspeção em todas as cinco penitenciárias federais. O objetivo da medida é a produção de um laudo técnico de inspeção predial de todas as estruturas.

Fuga do presídio
A fuga aconteceu na madrugada da Quarta-feira de Cinzas, no dia 14 deste mês. Os presos Rogério da Silva Mendonça e Deibson Cabral Nascimento, que respondem por homicídio, roubo, latrocínio, tráfico de drogas e organização criminosa, fugiram após removerem a luminária da cela e ampliar o vão que dá acesso ao sistema de manutenção do prédio.

Os dois utilizaram as grades da cela como ferramentas para aumentar o buraco na parede, que estava danificado devido à umidade e à falta de manutenção. Os dois ainda estão foragidos.

Terra