Rio Grande do Norte registra primeira morte por dengue em 2024

Vítima da dengue é uma mulher do município de Itaú. Morte aconteceu em março e a confirmação da causa se deu na última semana pela Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap).

O Rio Grande do Norte registrou a primeira morte causada por dengue em 2024. A morte aconteceu em março e a confirmação da causa se deu na última semana pela Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap).

A vítima é uma mulher que morava em Itaú, no Alto Oeste potiguar, e ficou internada no hospital de Pau dos Ferros. A informação foi confirmada pela família.

Wigna Monielly Cosmo da Silva tinha de 21 anos. Segundo a família, ela era saudável e não tinha problemas de saúde.

Porém, o laudo do óbito, ao qual a Inter TV Costa Branca teve acesso, informa que a morte foi causada por “dengue hemorrágica” e “distúrbio hidroeletrolítico” – o que ocorre quando a pessoa perde grandes quantidades de líquidos e eletrólitos.

Pai de Wigna, o pescador Sebastião Cosmo da Silva, disse que a jovem também era pescadora e deixou dois filhos – uma menina de 2 anos e um menino de 5 meses.

Ela deu entrada no Hospital Regional de Pau dos Ferros por volta de 13h do dia 20 de março, segundo a família, mas morreu por volta de 1h da madrugada do dia 21.

“Ela foi ao médico, o médico passou dipirona e soro, de dia. Ficou até de noite internada e foi liberada para casa. Mas no outro dia ela teve os mesmo sintomas. Foi no médico de novo e enviaram ela para Pau dos Ferros, mas ela não teve melhora e foi se agravando, vomitando, com inflamação no corpo, muita dor. Pediram exames e à noite disseram que iam intubar ela”, afirmou o marido, Marcos Sousa.

De acordo com o último boletim epidemiológico, o RN tem 15.183 casos prováveis de dengue, sendo 2.281 já confirmados. O número de casos prováveis este ano já é maior do que o registrado em todo o ano de 2023, quando foram contabilizadas 12.048 ocorrências.

Nesta quinta, o Ministério da Saúde orientou a ampliação da faixa etária para vacinação contra a dengue. A Sesap orientou que os municípios seguissem a recomendação.

Por g1 Rio Grande do Norte