O radialista Edcarlo Monteiro, diretor administrativo e apresentador da Rádio Cultura FM, de Guarabira, no brejo paraibano, foi alvo de ataques covardes por parte de alguns policiais militares que fizeram má interpretação de conteúdo expressado pelo comunicador durante a difusão de informações sobre o movimento que tem sido realizado pela Polícia Militar com revindicações de direitos e melhorias para a categoria.

Na quinta-feira, dia 06, Edcarlo fazia leitura de uma informação sobre O governador da Paraíba João Azevêdo (Cidadania) que decidiu acatar a contraproposta dos militares e ampliou para 100% a incorporação da Bolsa Desempenho para ativos e inativos, mas ampliou de 36 para 48 meses o prazo para pagamento. Além disso, João decidiu manter os 10% de reajuste salarial e também aumentou o percentual do auxílio alimentação em 24%. Outra novidade é que o valor do plantão, para 12h, terá um acréscimo de 70% em dias normas e de 141% em datas especiais.

Conforme matéria abaixo:

Governo amplia para 100% incorporação da Bolsa Desempenho e acrescenta novos benefícios para PM

Para Edcarlo essa informação parecia ser favorável para toda a categoria e segundo o que estava descrito o Governador João Azevedo estaria acertando no dialogo com os PMs realizando um sonho dos mesmos de ter 100% da Bolsa desempenho. Usando um trocadilho popular de um político da região, Chico Mala, que sempre diz “vai ficar só na gracha”, o comunicador satirizou o benefício. Conforme vídeo abaixo:

Na tarde desta sexta-feira, dia 07, o radialista Edcarlo abriu o seu programa diário comentando que após a repercussão do seu pequeno comentário no dia anterior, passou a receber ameaças de pelos menos três policiais militares através das redes sociais, que de forma covarde o atacaram com palavras de baixo calão e ameaças de morte.

Confira o relato completo do radialista Edcarlo Monteiro, durante o programa Tribuna do Povo:

Pode ouvir também nesse LINK 

Outro policial militar também usou as redes sociais para atacar o radialista:

Edcarlo relatou que procurou o comandante do 4º Batalhão, Gilberto Felipe, que iniciou de imediato procedimento administrativo considerando grave a situação e as ameaçadas sofridas por integrantes da corporação e se colocou a inteira disposição para buscar uma solução pacificada da situação.

“Houve um grande mal-entendido, bastar ouvir o meu comentário, diante das informações que foram apresentadas, não foram informações falsas, mas sim o relato do diálogo com o governo e suas propostas pra categoria. Mas sim, o policial que me atacou, ou os que me atacaram, de fato, não representam a instituição polícia militar e são covardes,  não honram a farda, digo sem medo, porque sou amigo pessoal de diversos coronéis, comandantes e tenho diversos títulos de amigo da corporação em Guarabira, quem me atacou não conhece minha história, meu trabalho e minha dignidade, sou um profissional quem toda a minha carreira, defendia a polícia militar e não tenho nenhum processo no âmbito profissional, respeito a PM, mas não tenho medo, sou um homem de bem, honrado e digno”, destou Edcarlo, em relato ao portal Nordeste1.

Um dos PM também atacou a Rádio Cultura, dizendo que a emissora recebia dinheiro do governo da Calvário.

 

Fonte: Nordeste 1