Fotos do Porto de Santos para o banco de imagens do site www.portodesantos.com.br

A balança comercial brasileira registrou superavit de US$ 4 bilhões em fevereiro de 2022. O resultado mais do que dobrou em relação ao mesmo mês de 2021, quando somou US$ 1,8 bilhão.

Com esse resultado, o Brasil também passa a acumular superavit comercial no acumulado de 2022. A balança comercial havia registrado deficit de US$ 176 milhões em janeiro. Mas, agora, as exportações superam as importações do país em US$ 3,8 bilhões no acumulado do ano.

O resultado da balança comercial de fevereiro foi divulgado nesta 5ª feira (3.mar.2021) pela Secretaria de Comércio Exterior do Ministério da Economia. Eis a íntegra (276 KB).

O superavit comercial é registrado quando as exportações superam as importações do país. Se ocorre o contrário, ocorre deficit comercial.

O saldo de US$ 4 bilhões é 2º melhor para o mês de fevereiro. Só perde para os US$ 4,2 bilhões registrados em fevereiro de 2017. O mês ainda teve recorde de exportações e importações.

Em fevereiro, as exportações somaram US$ 22,9 bilhões e as importações, US$ 18,9 bilhões. Houve alta de 32,6% das exportações e de 22,9% das importações, em relação a fevereiro de 2021.

O subsecretário de Inteligência e Estatísticas de Comércio Exterior, Herlon Brandão, disse que o aumento das exportações reflete o crescimento dos volumes e dos preços dos bens vendidos pelo Brasil para o exterior, como a soja.

“Esse ano, iniciamos com embarques mais robustos de soja principalmente por causa do tempo da safra. Tivemos a safra plantada mais cedo em relação à safra do ano passado e isso motivou um crescimento da soja acima de 100%”, afirmou.

Já a alta das importações é fruto do aumento dos preços dos produtos importados pelo Brasil, como as commodities energéticas –gás natural, gás e petróleo.

GUERRA NA EUROPA

Os dados da balança comercial de fevereiro ainda não refletem o conflito entre Rússia e Ucrânia, já que a guerra começou no fim do mês e os produtos dessa região levam cerca de 20 dias para chegar ao Brasil. Brandão disse, então, que ainda é cedo para avaliar os efeitos da guerra na balança comercial.

Analistas, no entanto, alertam para o fato de que a Rússia é uma das principais fornecedoras de adubos e fertilizantes para o Brasil. Segundo a Secretaria de Comércio Exterior, a importação desses produtos caiu 7,1% em volume em fevereiro, mas por outro fator: as sanções impostas a Belarus.

ACUMULADO DO ANO

No acumulado dos 2 primeiros meses do ano, as exportações brasileiras movimentaram US$ 42,5 bilhões e as importações, US$ 38,7 bilhões. O saldo comercial de US$ 3,8 bilhões é 125% superior ao registrado no mesmo período de 2021, quando somou US$ 1,6 bilhão.

Eis o desempenho das exportações brasileiras no acumulado do ano por setor:

  • AGROPECUÁRIA: 106,4%;
  • INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO: 32,4%;
  • INDÚSTRIA EXTRATIVA: -7,1%.

Eis o desempenho das importações brasileiras no acumulado do ano por categoria econômica:

  • COMBUSTÍVEIS E LUBRIFICANTES: 125,3%;
  • BENS INTERMEDIÁRIOS: 18,5%;
  • BENS DE CONSUMO: 3,5%;
  • BENS DE CAPITAL: -4,1%.

 

Fonte: Poder 360